As várias faces do mercado de arte: hegemônico x periférico

Dicas de carreira
13 de outubro de 2021, 19:00
O mercado de arte no Brasil está em expansão e gestores profissionais atentos às tendências e às diferentes produções artísticas são essenciais para alavancar instituições culturais, artistas e o próprio mercado. Entenda como um olhar criterioso para as diferentes características do mercado pode te diferenciar nesta área tão promissora.

Palestrante

Renato de Cara
curador independente, consultor de arte e coordenador do núcleo de artes visuais do Centro Cultural b_arco
Nasceu em Lins, SP, mas vive e trabalha em São Paulo. Formado em Jornalismo pela PUC/SP. Sempre Interessado em cultura, especializou-se em arte e moda contemporânea, produzindo, escrevendo, editando e fotografando para marcas e veículos de comunicação. De 2006 a 2017 dirigiu a Galeria Mezanino, produzindo e curando exposições individuais e coletivas, apresentando novos nomes e resgatando artistas em meio de carreira, cruzando linguagens e propondo novas abordagens no mercado de arte contemporânea. Em 2018 foi diretor do Departamento de Museus Municipais de São Paulo, coordenando quinze espaços museológicos históricos, construídos entre os séculos XVII e XX. Atualmente é coordenador do núcleo de artes visuais do Centro Cultural b_arco. 

A quem pode interessar


  • Gestores iniciantes nas artes
  • Artistas independentes
  • Colaboradores de instituições culturais
  • Profissionais de marketing, administração e artes em geral 

Sobre o que vamos falar 


  1. Mercado
  2. Principais diferenças entre o mercado hegemônico e o periférico
  3. Tendências
  4. Arte emergente 
Evento ao vivo! Você pode tirar suas dúvidas e enviar perguntas para o convidado pelo chat.  


E tem mais... 


Além do conteúdo especial apresentado pelo nosso convidado, quem assistir ao evento ao vivo receberá um desconto exclusivo para fazer o curso Art Business da EBAC!