Design

Animation designer: quais as suas responsabilidades e salário

Descubra tudo o que você precisa saber sobre a profissão para decidir se quer investir nesta carreira

27 de abril, 2022

Quando escutamos “ele é um animation designer!”, nós imediatamente imaginamos alguém que faz desenhos para a Disney ou Pixar. Para nós, é aquela pessoa que dá vida aos nossos personagens favoritos.

Na realidade, o animation designer tem outras responsabilidades que vão além de fazer desenhos animados. Para saber mais sobre essa profissão que está em crescimento, conversamos com Pedro Cabral, tutor do curso de Design de Animação 2D da EBAC.

O que é design de animação

O design de animação é a área responsável pelos efeitos visuais e animações feitos para cinema, games, sites, aplicativos, campanhas publicitárias, entre outras. Esses efeitos visuais e animações podem ser em 2D e em 3D.

O “2D” significa duas dimensões, isto é, são imagens planas, sem profundidade, que se deslocam na vertical e na horizontal. Desenhos como Tom e Jerry e Pica-pau são animações em 2D. Já o “3D” quer dizer tridimensional, em que há profundidade nas imagens, e os movimentos são na horizontal, vertical, para frente e para trás. Toy Story e Divertida Mente são exemplos de desenhos em 3D.

Para além dos desenhos, uma legenda em um vídeo pode ser considerada um design de animação assim como um ícone de “aperte aqui” em um aplicativo. O responsável por fazer esses efeitos é o chamado designer de animação. Aqui neste texto, falaremos mais a respeito dos que trabalham com 2D.

Quais as responsabilidades de um animation designer

O animation designer é responsável por participar de vários processos, não só o que envolve a animação. O profissional também participa dos brainstormings de projetos, faz storyboard e pode fazer a edição da animação.

Brainstorming

  • O que é?

Em tradução livre: tempestade de ideias. Participam dessa reunião os profissionais que estão envolvidos com o projeto para debater e conceituar ideias antes do começo da produção da animação.

  • O que se debate?

Os profissionais dão suas sugestões sobre estilo de animação, cenário, trilha sonora, locução e os demais elementos que podem compor a animação. Neste debate, a criatividade é elemento fundamental.

Storyboard

  • O que é?

É um documento feito pelo animation designer que vai mostrar o mapeamento, cena a cena, dos elementos gráficos da futura animação.

  • Para que serve?

A ideia é mostrar como vai ficar a composição de cenas para que seja possível ver como tudo vai ficar, antes de começar a animar. Assim, é possível evitar o desperdício de tempo. Não é necessário colocar muitos detalhes no storyboard, o documento é como se fosse um rascunho da animação.

Exemplo ilustrativo de um storyboard
  • Como é feito?

O profissional pode se basear em um roteiro e fazer storyboard no papel ou no computador. Há também um tipo de storyboard que já é feito de forma animada chamado de animatic.

Animar

  • O que é?

O profissional vai trazer vida a uma imagem que está inanimada. Ele dará fluidez e dinâmica para a animação e fará com que o público consiga criar uma relação e ter afetividade com o que está assistindo.

Assim, o profissional vai criar, por exemplo, uma propaganda de televisão (como exemplo abaixo), um game, vídeos para redes sociais ou curtas-metragens.

  • Como é feito?

Através de softwares de computador específicos para animação. O mais usado atualmente na animação 2D é o Adobe After Effects - ainda falaremos dele neste texto.

Editar

  • Responsável pela edição

O animation designer pode fazer parte de uma equipe em que há editores para fazer essa parte do trabalho. Porém, há chances de que a edição seja uma de suas responsabilidades.

  • O que é?

É o processo que vai juntar todos os elementos que compõem o projeto: animação, trilha sonora, locução, gráficos, entre outros. Aqui, o profissional leva em consideração o roteiro e as sugestões dos diretores e dos clientes.

Como se tornar um animation designer

Não há um curso superior específico no Brasil para se tornar um animation designer. “Você pode fazer faculdade de produção audiovisual, design gráfico ou design de games, por exemplo. Nesses cursos, você vai flertar com a área de design de animação e começar a entender esse universo”, conta Pedro.

“Na faculdade de produção audiovisual, por exemplo, você vai entender conceitos que vai carregar para dentro da animação, como edição de vídeo e enquadramento, que são muito importantes para um animation designer. Depois, cabe a você se aprofundar e fazer cursos como o da EBAC”, completa Pedro.

No curso da EBAC, entre vários conteúdos, o aluno aprende a desenhar e projetar personagens, entende técnicas avançadas de tridimensionalidade e produz os primeiros passos de uma série animada. Além disso, o aluno desenvolve seis projetos que podem ser colocados em seu portfólio profissional.

Para entrar no mercado de animação, Pedro afirma que é essencial que o profissional tenha um portfólio e construa um networking - rede de contatos, em português. “No geral, os clientes e as empresas querem ver o que o profissional sabe fazer na prática. É fundamental ter um portfólio atualizado”, conta Pedro.

“É também importante conhecer pessoas que trabalham na área. Participar de eventos e comunidades na internet são formas de entrar em contato com outros profissionais”, acrescenta. O networking é importante porque, além de mostrar o seu trabalho e conhecer o de outros profissionais, você cria conexões com pessoas que podem indicá-lo para vagas ou projetos de animação.

Ferramenta essencial para ser um animation designer 2D

O Adobe After Effects é a principal ferramenta que deve ser dominada por quem quer atuar na área, de acordo com Pedro Cabral.

“Até existem outros softwares de animação, mas o After Effects dominou o mercado. É uma ferramenta completa que abrange todos os processos. Ele permite que você coloque um texto em um vídeo, que é uma atividade mais simples, e também faça a pós-produção de um curta-metragem para o cinema. O After Effects é fundamental para a animação 2D hoje em dia”, explica Pedro.

Habilidade e qualidade que um animation designer precisa ter

Ser paciente e ter referências de trabalhos de animação são essenciais para uma pessoa que quer entrar na área de animation design. Essas duas características vão ajudá-lo dia a dia no desenvolvimento do trabalho.

Ser paciente

Segundo Pedro, ter paciência é a habilidade comportamental mais importante para um profissional que queira entrar na área porque é um trabalho que pode ser demorado.

“Há dias que você vai trabalhar em projetos que são simples. Às vezes é um vídeo que você só vai colocar um texto animado que pode levar de 10 a 20 minutos. Mas você pode pegar um material para animar inteiramente que pode ser feito em seis horas. Já se você está fazendo um personagem, pode levar de um a dois dias para que ele funcione bem”, exemplifica Pedro.

Além disso, é comum que o material desenvolvido tenha alterações, após ele ser finalizado pela primeira vez. Então, até terminar o trabalho, é um caminho longo e não é algo que se consiga fazer rapidamente.

Ter referências

“É necessário que o profissional consuma animação. Desde propagandas no metrô até assistir a filmes da Pixar. Ter esse repertório é fundamental porque, quando um cliente solicitar um trabalho para ser desenvolvido, ele já vai ter referências que podem ajudá-lo”, opina Pedro.

Pedro ainda dá uma dica para quem deseja se tornar um animation designer: ler o livro The Illusion of Life, de Frank Thomas e Ollie Johnston, dois dos principais animadores da Disney. “No livro, os autores pontuam 12 princípios da animação e é fundamental conhecê-los. Eles podem servir como uma referência para o seu trabalho.”

Onde o animation designer pode trabalhar

A maior área para um animation designer trabalhar, atualmente, é a de publicidade e propaganda. A demanda para fazer peças publicitárias em animação está aumentando. Nela, o profissional trabalha em projetos que são veiculados em diferentes mídias, como televisão e internet.

O animation designer também pode trabalhar em estúdios de TV e animação desenvolvendo obras cinematográficas como curtas e longas-metragens. Além disso, ele pode atuar na área de games, seja para celular, computador ou consoles, assim como em desenvolvedoras de aplicativos.

Salário e perspectivas de trabalho

Na pandemia, houve aumento de demanda de vídeos publicitários para os estúdios de animação, uma vez que as gravações com pessoas tiveram que ser interrompidas e as animações preencheram essa lacuna. Também houve crescimento de produtoras do exterior em busca de profissionais brasileiros de animação nesse período.

É cedo para dizer se essa procura vai continuar crescendo, mas a expectativa é positiva. “Nos últimos anos, dentro do audiovisual, as perspectivas de trabalho vêm crescendo, principalmente na animação. Isso porque, dentro de um mesmo projeto, a empresa pode precisar de dois, três ou mais animadores para trabalhar ao mesmo tempo, então é um mercado em crescimento”, pontua Pedro.

De acordo com o Glassdoor, o salário médio da área em São Paulo é de R$6.591 por mês, podendo chegar a R$9.226, conforme experiência e tempo de trabalho do profissional.

Torne-se um animation designer 2D!

Se você ficou interessado em saber mais sobre a profissão de animation designer, clique aqui e conheça o nosso curso. Nele, você vai aprender técnicas de animação 2D e se tornar um profissional de sucesso!