Design

Na prática: como fazer o projeto de um banheiro
Cezar Figueiredo, arquiteto e designer, explica o passo a passo para criar o ambiente como seu cliente quer
Nem todo mundo tem a oportunidade de ter um banheiro grande e iluminado. “Banheiro pequeno é uma realidade atual e que eu acredito que vai ser cada vez mais intensificada. No futuro, só vai morar em apartamento grande quem herdou”, acredita Cezar Figueiredo, arquiteto e designer da Desembola.
Mas isso não significa que o projeto precisa ser limitado quando se trata de estilo ou praticidade. Com o know-how certo, o ambiente pode ser elegante e eficiente ao mesmo tempo.

“O projeto de design de interiores envolve diagnosticar e resolver um problema do cliente de uma maneira única”. Para Cezar, esse é o principal ponto que define a profissão. “Na prática, isso significa que resolver o que incomoda aquela pessoa é mais importante do que fazer um projeto premiado. Isso te posiciona muito bem no mercado e abre portas para você fazer outros projetos”, diz ele.
Abaixo, ele explica o passo a passo para fazer um projeto de banheiro que vai ser um sucesso com seu cliente:
Exemplo do briefing criado por Cezar
Passo 1: Briefing
O primeiro passo é uma “entrevista” com o cliente, para entender o que ele quer daquele espaço.

Mas isso pode ser mais desafiador do que parece e envolve saber interpretar o cliente. “Às vezes, a pessoa é abstrata, ela não sabe exatamente o que a incomoda, só fala, por exemplo, que acha o banheiro triste. E às vezes esse ‘triste’ é tão simples como falta de iluminação, por exemplo. Tem que ter jogo de cintura para entender o que o cliente quer dizer porque às vezes nem ele sabe qual é o problema exato”.

Depois dessa conversa, o cliente preenche o “briefing”, um documento em que ele lista a parte mais objetiva do que foi conversado: quais móveis ele quer, que materiais ele gosta, o que já tem no ambiente original que ele quer manter o que terá que ser comprado e por aí vai.
Passo 2: Criando alternativas
Uma vez que você entendeu o que o cliente espera, é hora de apresentar opções para aquele ambiente.
A partir de softwares de imagem, você cria ideias de como ficaria o banheiro. O cliente vai te falar o que mais gostou ou o que deve ser adaptado e, após algumas versões, vocês irão decidir em um projeto.
“Mas é importante ter em mente que, às vezes, o projeto definido muda no meio do caminho. Já aconteceu de a gente ter uma ideia em mente mas ao decorrer o cliente se apaixonar e comprar um móvel que viu, aí você tem que adaptar o projeto para incluir aquela mudança”, explica Cezar.
Exemplo de Cezar Figueiredo
Passo 3: Projeto executivo e orçamentos
Agora é a etapa de desenhar digitalmente, utilizando programas (como AutoCad), para definir as tecnicalidades do projeto.

“Essa parte do processo é para os profissionais que vão trabalhar na obra, não para o cliente. É o direcionamento de como ele deve fazer cada parte”, diz Cezar.

E isso envolve:
  • revestimento de piso
  • revestimento de parede
  • gesso
  • iluminação e elétrica
  • peças hidráulicas (onde vai ficar o ralo, o vaso, o ponto que vai sair a torneira...)
  • marmoraria (se há peças de pedra, como o lavabo, para serem projetadas)
  • marcenaria (se há peças de madeira, como móveis ou painéis)
  • vidraçaria (espelho e outras peças de vidro).

Você deve criar cada um desses projetos e enviar para o profissional de cada um das áreas para antes descobrir o preço e passar para o cliente.
Com tudo encaminhado, é só começar a colocar o projeto em prática. Você pode assistir este webinar de Demonstração de Projetos de Design de Interiores, de Cezar Figueiredo, aqui.
Orçamento curto?
Em um banheiro, especialmente se ele for pequeno, um toque faz toda a diferença. “Às vezes colocar um painel atrás do espelho ou apenas trocar a bancada já muda o ambiente”, indica Cezar, que diz que é importante também fazer o meio-de-campo entre o profissional da mão de obra contratada e o cliente. “Já tive cliente que queria uma certa bancada de pia e, quando passei para o profissional de marmoraria, o orçamento era 6 mil reais a mais que o esperado. Então, fui conversando com eles para chegarmos em um consenso do que era possível fazer com o dinheiro disponível que ainda entregasse a ideia que o cliente esperava!”
Portanto, esteja preparado: além de saber fazer projetos de diferentes áreas (elétrica, hidráulica, marcenaria etc), o Designer de Interiores que vai projetar um banheiro tem que ter uma característica principal e muito importante: ter jogo de cintura para lidar com pessoas durante todas as etapas do projeto.
Torne-se um Designer de Interiores em 5 meses!

Você irá aprender a criar projetos para interiores visando não apenas a beleza mas a funcionalidade de cada ambiente, por meio de estudo de materiais, tendências, estilos, composição de objetos e muito mais.


Todos os temas são apresentados para você criar repertório completo para aplicação em projetos próprios, com clareza de cada etapa, do conceito inicial até a apresentação para o cliente, evoluindo a cada módulo.


As videoaulas são separadas por módulos para facilitar o aprendizado. O aluno assiste quando e onde quiser - e pode rever o material e reforçar o aprendizado pelo período de dois anos.


Professor: Bruno Simões – Arquiteto, designer, curador e proprietário do Ateliê Bruno Simões

Com atuação plural como arquiteto, designer, curador, crítico, educador e empresário nos últimos 13 anos, Bruno Simões construiu uma carreira que percorreu por completo o ciclo da economia criativa no país, incluindo passagens por importantes empresas, como Senior Architect no escritório franco-brasileiro Triptyque Architecture, editor de conteúdo da revista Casa Vogue, do grupo Globo Condé Nast, e curador residente na Galeria Nico.