Designer Instrucional para educação: o que está por trás desta profissão?

Conheça essa área que une tecnologia e educação e saiba o que você precisa para se tornar um.

28 de abril, 2022

Designer Instrucional para educação: o que está por trás desta profissão?

Conheça essa área que une tecnologia e educação e saiba o que você precisa para se tornar um.

28 de abril, 2022

Na EBAC temos muitos professores que são profissionais na sua área. Eles fazem seu trabalho muito bem. Mas quando se trata de criar um curso educacional, eles enfrentam dificuldades porque ensinar não é o mesmo que realizar o seu trabalho do dia a dia. É nesse ponto que eles precisam da ajuda de um designer instrucional.

Para entender melhor o que é o design instrucional e como é a atuação desse profissional no mercado de trabalho, conversamos com Alan Dantas. Além de head de educação aqui na EBAC, Alan também é um dos professores no novo curso de design instrucional para educação da plataforma.

O que é design instrucional para educação

Se procurarmos no dicionário o significado de design, obteremos algo como a concepção de um projeto, seu planejamento e sua funcionalidade. Pensando no lado educacional, o designer instrucional tem por finalidade criar um projeto com todo o currículo educacional de um curso, seja ele oferecido por um empreendedor, uma empresa, um professor, etc.

Este projeto do designer deve contemplar o modelo de negócios da empresa, seguindo linguagem e padrão de ensino propostos pela marca. O projeto do designer instrucional envolverá:

  • Pesquisa, análise e compreensão do público para o qual o curso será direcionado;
  • Definição dos objetivos do curso, por exemplo, o que se deve aprender a cada aula;
  • Definição do nível de aprendizado do início ao fim do curso, se será um ensino do básico ao avançado, ou então uma especialização para pessoas que já possuem conhecimento prévio;
  • Compreensão e determinação dos recursos que serão utilizados para exibir o curso e atingir os objetivos pré-determinados.

Todo esse cuidado e planejamento tem o objetivo de tornar a aprendizagem mais dinâmica e simples possível. Isso é válido tanto para cursos mais simples ou de longa duração até treinamentos profissionais mais complexos.

Design instrucional como tendência no mercado de trabalho

Com o crescente desenvolvimento tecnológico e o aumento de investimentos na América Latina, o mercado tem necessitado cada vez mais de profissionais melhor capacitados. Como um efeito cascata, essa evolução do mercado gerou um aumento nas buscas por especializações, destacando-se a procura por cursos online - principalmente após os isolamentos impostos pela pandemia do coronavírus, o que abriu espaço para um número crescente de novas EdTechs no país. Por exemplo, segundo um levantamento da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), houve um aumento de 26% no setor, chegando a 566 Edtechs ativas no país.

Analisando esse cenário, fica clara a necessidade de profissionais da área de design instrucional para traduzir o conhecimento das diferentes áreas de ensino, seguindo a proposta e o modelo de negócio de cada uma destas novas empresas.

Outro fator que também reflete no aumento da demanda por designers instrucionais no mercado é a capacitação interna de colaboradores. Em um mercado de alta concorrência por mão de obra qualificada, essa é uma estratégia que tem sido adotada por muitas empresas.

Segundo um estudo alemão, que analisou a educação de 4,3 mil funcionários de 150 empresas por 5 anos, apresenta-se um aumento de 10% na lealdade dos colaboradores e produtividade em geral quando há treinamentos e qualificações oferecidos pelas empresas.

Outro fator que influencia o aumento de treinamentos internos em empresas é a relação de custo-benefício em capacitar um profissional já habituado aos processos internos da empresa, em comparação aos custos de do processo de contratação de um novo profissional.

Quais habilidades um profissional precisa ter para ser um designer instrucional

Ao explicar o papel de um designer instrucional, Alan faz uma analogia a um gerente de produtos em uma empresa de software. Esse profissional será responsável por entender as necessidades do projeto e a capacidade do seu time, montar a narrativa do projeto e garantir que ela seja seguida.

De forma geral, o designer instrucional é responsável pela construção do fluxo e demandas do projeto, mas não por gerir as pessoas que fazem parte de cada etapa. Por exemplo, será responsável por definir a divisão dos módulos do curso e garantir que o resultado final siga essa definição, mas não fará a gestão de quem irá produzir cada um destes módulos.

Para desenvolver um projeto de forma eficaz, o designer instrucional deve contar com um conjunto de habilidades tanto na área educacional quanto em criação de projetos. Conversando com Alan, listamos algumas das competências necessárias para o dia a dia do designer instrucional.

  • Habilidades de entrevista: na maioria dos casos, o designer irá captar o conhecimento de um profissional e transformá-lo em conteúdo educacional, como vídeos, livros, apresentações, tarefas, etc. Portanto, é fundamental que o profissional entenda como entrevistar corretamente a pessoa detentora do conhecimento.
  • Análise de mercado: é preciso entender quais as habilidades daquela área de ensino que o mercado de trabalho e consumidor realmente procura. Essa análise irá auxiliar na definição dos objetivos de aprendizado do curso, como as habilidades e conhecimentos que deverão ser alcançados.
  • Conhecimento de metodologias ativas e psicologia de aprendizagem: é necessário entender teorias da psicologia sobre as formas como os alunos aprendem. E, tratando-se de cursos a distância, é preciso saber quais as melhores metodologias para colocar o aluno como principal responsável pelo seu aprendizado. Dessa forma, é possível elaborar narrativas de ensino que evoluam junto com o seu nível de entendimento.
  • Desenvolvimento de objetivos de aprendizagem e narrativas: o curso deve seguir uma narrativa com conteúdos e tarefas para que, a cada módulo, o aluno conclua um objetivo e avance um pouco mais na sua jornada de aprendizagem. Por exemplo, em nosso curso de design instrucional, ao final das primeiras aulas sobre design instrucional o aluno deve entender os conceitos básicos dessa área; ao final do 1° módulo todo, ele deve aplicar esses conceitos em uma tarefa prática.
  • Habilidades de comunicação: é fundamental que o designer instrucional seja habilidoso ao se comunicar com as pessoas, pois será de grande ajuda para seu desempenho em suas atividades, desde as entrevistas iniciais até a montagem da narrativa do curso.
  • Documentação: é preciso saber documentar todas as etapas e requisitos necessários para a produção do curso de forma clara e objetiva, para que todos os envolvidos em sua produção entendam o projeto de maneira eficaz.

O caminho para se tornar um Designer Instrucional

Como esta é uma profissão formada por um conjunto de habilidades, não há um único caminho para se tornar um designer instrucional. Há profissionais que começaram em outros setores, como design ou educação, e passaram por uma migração de carreira. Como também há profissionais que desde o início optaram pela área.

Hoje, é comum que você encontre pedagogos, professores, designers gráficos, desenvolvedores, recrutadores, entre outros profissionais que optaram por migrar para esta área. Grande parte deste movimento está associado aos salários atrativos do setor, onde um profissional pleno ganha cerca de R$4.000 por mês.

Segundo Alan, a especialização em design instrucional da EBAC leva em consideração todos esses diferentes históricos de conhecimento que os alunos podem ter, inclusive o antecedente de alunos que sequer possuem alguma graduação prévia.

De acordo com o professor, o curso parte de informações básicas até conteúdos mais complexos, abordando todos os conhecimentos e habilidades necessárias para se tornar um designer instrucional, seja para um profissional de alguma área correlata ou alguém que deseja se inserir no mercado de trabalho.

O curso Profissão Designer Instrucional para Educação possui 30 horas de conteúdo em vídeo e mais cerca de 60 horas de prática, contanto com o auxílio de tutores especializados. Além das aulas ministradas por Alan, o curso também conta com a participação da Fernanda Carvalho, Senior Instructional Designer & Product Owner na EBAC.

O objetivo é formar um profissional com todas as qualidades necessárias para entrar neste mercado de trabalho. A conclusão do curso inclui um portfólio completo, composto por todas as atividades produzidas ao longo do curso mais a criação de uma plataforma de gestão de aprendizagem (LMS) própria, com 3 cursos diferentes.

Alan ainda conclui que este curso é, também, uma grande realização de um projeto pessoal. Segundo ele, desde o início da sua carreira, por volta de 2010, ele utiliza a união da educação com tecnologia como uma ferramenta para melhorar a vida de outras pessoas, de profissionais da educação à alunos, agregando positivamente no setor educacional como um todo. Ele acredita que agora, com um curso online completo, será possível impulsionar a carreira de muitos outros profissionais de uma forma escalável.