Carreira

Modelo de currículo. O que fazer (ou não)

Colocar foto? Soft skills? RG e CPF? Confira mais de 20 dicas para construir o seu currículo profissional

30 de maio, 2022

*Artigo escrito por Patrícia Bernardi, coordenadora de recursos humanos da EBAC, e publicado em seu perfil no LinkedIn

Sou profissional de RH há mais de 15 anos e já vi muitos currículos, alguns com modelos muitos legais, outros nem tanto.

Muitas pessoas me pedem um modelo de currículo, já conversei aqui no LinkedIn o quanto é algo pessoal e os profissionais podem dar a sua cara, cor, entre outros. A dica é: seja estratégico, aproveite bem o espaço do currículo, seja claro, objetivo e destaque o que é mais importante/interessante para a área/cargo que você atua!

No meu currículo, por exemplo, eu coloco o logo das empresas, pois acredito que quem lê entende rapidamente de qual empresa estou falando, pois em algum momento já viu o logo.

Patrícia Bernardi, coordenadora de recursos humanos da EBAC,

Dicas de ouro

  • Você já ouviu falar de ATS? São os sistemas como Taleo, Kenexa, Workday, SucessFactors, Kenoby, Gupy, que as empresas usam para gerenciar as vagas, logo, para captar currículos. Sempre que entrar na página de carreiras da empresa preste atenção ao endereço da página, esses nomes aparecerão. Por que isso é importante para você? Pois quando você faz o upload do currículo a ferramenta “lê” e completa os campos automaticamente, ou seja, a ferramenta é treinada para “ler” alguns modelos de currículo. Então se seu currículo for diferentão a ferramenta não vai ler e não preencherá os campos, logo você terá que fazer manualmente. Isso é um problema? Depende, se você não se importar em preencher manualmente os campos seu currículo pode ser diferentão e não seguir modelos.
  • Modelo de currículo da Plataforma Lattes: Só use se você estiver se candidatando a uma vaga de Docente ou Pesquisador Cientista.
  • Portfólio Criativo: Para carreiras criativas como designer, motion designer, diretor de arte ou até mesmo carreiras com materiais autorais como designer instrucional, redator, escritor é imprescindível um portfólio online. Mas atenção o portfólio é um complemento, não substitui o currículo. Sugiro ter um currículo em um modelo que é "lido" pelos ATS e colocar o link do portfólio online como uma informação adicional, podendo ser no início, junto com as informações pessoais ou no final.
  • Foto: Entrei outro dia numa discussão sobre este ponto e até me arrependi, excluí meus comentários e tudo. Não achei que ia ser tão polêmico. Minha opinião, não coloque foto, ocupa espaço e não agrega valor. Se te pedirem uma foto você envia. Infelizmente sei que tem empresas e cargos que a aparência conta (ex: recepcionista de eventos), mas para a maioria das posições é uma informação desnecessária. Lembre-se que o seu currículo precisa ser prático e objetivo para leitura. É um problema ter? Não é, mas ocupa espaço e é dispensável.
  • Quantidade de páginas: 2 é o ideal, 3 quando você já tem bastante tempo de estrada e muita coisa para contar.
  • Idade, data de nascimento, estado civil, número de filhos: Dispensável, as vezes estratégica se você não colocar (infelizmente). É um problema ter? Não é, mas ocupa espaço.
  • Informações Pessoais como CPF e RG: Dispensável, e nos dias atuais não recomendado por questões de segurança. Espere que te peçam essas informações.
  • Objetivo de Carreira: Coloque as palavras-chaves Ex. Desenvolvimento de Negócios, Pesquisa e Desenvolvimento. Não faça aqueles textos “Busco uma empresa que... um trabalho com...” Seja direto e objetivo.
  • Experiência Profissionais: Coloque as principais atividades de modo que um leigo entenda o que você faz. O primeiro filtro é o recrutador, que nem sempre é um expert da sua área, ele precisa ler e entender o que você faz.
  • Ordem das experiências: Da mais recente para a mais remota.
  • Empresa Júnior: Principalmente para profissionais com menos de 10 anos de experiência é superinteressante ter esse tipo de experiência descrita. Principalmente para estagiários, trainees, analistas júniores.
  • Pesquisa Cientifica: Mesmo que tenha sido acadêmica é importante destacar como experiência, pois contribui na formação como profissional.
  • Não fale de aspectos comportamentais “soft skills”: Adjetivos descritivos por exemplo, sou dinâmico, pró-ativo e de fácil relacionamento. O recrutador não levará isso em conta, pois ele utilizará a entrevista para saber disso e estas linhas serão preciosas para você fazer um currículo enxuto. Lembre-se que a meta são 2 páginas, então coloque o que é mais importante e essencial. É um problema ter? Não é, mas ocupa espaço e é dispensável.
  • O foco precisa ser nas atividades desempenhadas e “hard skills”: O que você fez e o que você conhece é o mais importante de estar no currículo. Você terá outras oportunidades para demonstrar suas competências.
  • Coloque os meses e não somente o ano das passagens profissionais: Isso ajuda a contar a sua história. Ex de jan/2017 a jun/2018 – desde jan/2019
  • Fiz um Intercâmbio como colocar a informação no c.v.? Eu prefiro quando a informação está como uma experiência. Ajuda a entender a linha do tempo da história do profissional: Austrália de jan/2018 a jan/2019 – Intercâmbio cultural para aprimorar a língua. Atuei com atividades profissionais diversas como X, Y, Z.
  • Cursos, Palestras, Workshops, etc.: Pense o que é essencial para a posição que você está procurando e quantas páginas seu currículo já têm. Se tem espaço coloque o que for relevante, se você já atingiu 3 páginas revise o currículo e pense se você está colocando o que é essencial.
  • Atividades Voluntárias e Extracurriculares: Se tem espaço coloque o que for relevante, se você já atingiu 3 páginas revise o currículo e pense se você está colocando o que é essencial.
  • Ferramentas de Informática: Busque colocas todos os sistemas que você já trabalhou, isso chama a atenção, mesmo não sendo da área de TI, pois a maioria das áreas utilizam ferramentas hoje em dia. SAP, Oracle, Sales Force, Tableau, entre muitas possibilidades.
  • Idioma: Primeiro de tudo não minta! Você pode ser chamado para uma entrevista em que tenha que usar o idioma. Coloque básico, intermediário, avançado e fluente. Fiz o TOEFL (ou similar) e quero colocar a nota. Ótimo, mas também coloque o nível descritivo, pois raramente a recrutadora vai procurar a nota do teste no banco de currículos, mas vai colocar a palavra chave “inglês avançado”, “inglês fluente” e se você tirou 900 no teste e não colocou a palavra talvez ela não encontre seu currículo no banco de dados (triste mas é verdade!)
  • Palavras-chaves: Nós recrutadoras somos treinadas a ler os currículos rapidamente por palavras-chaves e as ferramentas de busca de currículos também. Sites como Catho, Vagas.com, Linkedin e as ferramentas de ATS citadas acima. Ou seja, o seu currículo precisa ter as palavras principais que a sua atuação profissional têm e/ou o que você quer fazer. Exemplo: Cargo Analista de RH; cálculo de folha, rescisão, SAP, entre outros. Os recrutadores usam a busca Booleana para encontrar profissionais no LinkedIn. Por que isso é importante para você? Saber como o recrutador te procura é importante para que você saiba como ser encontrado, para saber mais sobre a busca booleana acesse https://sites.google.com/site/historiasobreossitesdebusca/historia-site/o-que-e-expressoes-booleanas
  • O layout do currículo precisa ser limpo e organizado: menos é mais! Lembre-se do ATS, que o recrutador usa um banco de dados, na maioria das vezes não vê todos os currículos pois usa palavras-chaves para encontrar o que ele quer e que ele vê mais de 100 cvs por dia!

Espero que eu tenha ajudado!

Ah! Última dica, pesquisando na internet eu encontrei esse site com boas dicas e modelos de currículos. Vale a pena dar uma consultada! https://www.simplic.com.br/blog/8-modelos-de-curriculos-prontos-para-baixar/