Design

As  inúmeras possibilidades do motion design
Saiba mais sobre as possibilidades de uso do recurso que une o gráfico e o audiovisual e quais as áreas de trabalho
Dar movimento à texto, formas, fotos, imagens, ilustrações, é isso que o motion design faz, de maneira objetiva. Tudo começou na década de 1950, quando os estúdios cinematográficos convidaram artistas para criar ilustrações para créditos e filmes com a intenção de torná-los mais dinâmicos e causar impacto visual. 

Aqui, falamos mais do histórico e qual a média salarial de um motion designer, mas se você está conhecendo a área agora, uma pergunta comum é: quais as possibilidades de aplicação desse recurso. Resposta: diversas! O motion design está presente em em filmes – sabe as vinhetas de abertura ou os créditos que sobem a tela no final? –, videoclipes, comerciais para TV e redes sociais por ser um importante recurso visual de marketing. 

Na TV aberta, esse recurso foi muito explorado na década de 1990 (talvez, o principal motivo seja porque entregava uma estética “moderna”) e eram tão icônicas quanto kitsch – até as emissoras aceitarem o flat design. Bons exemplos são, além da abertura do programa dominical Fantástico, as vinhetas poluídas e divertidas da MTV. 
Abertura do programa "Fantástico" em 2010
série de vinhetas da MTV
Falamos que o motion design também aparece em videoclipes? Quem se lembra do sucesso do vídeo de Bang!, em que esse recurso é fundamental na linguagem estética da arte usada na peça.
Diferentemente das animações do passado, feitas quadro a quadro em 2D, com mesas de luz, o motion usa diagramas, gráficos, formas, textos e cores, marcados por pontos chaves em intervalos específicos, conhecidos como keyframes. O motion está diretamente ligado à computação gráfica e ao desenvolvimento tecnológico. Podemos dividir a atuação em algumas áreas: cinema, TV, publicidade, videoclipes musicais e de arte, além de cinematics para games.

Os recursos de motion são aplicados a vídeos institucionais, tutoriais, treinamentos, marketing, principalmente.
Como funciona o serviço da startup LosCaninos
Contrutora MRV sobre condomínios com energia solar
As habilidades de motion designer
O profissional de motion design domina além do design gráfico, a produção multimídia. Ele pensa não apenas nos signos visuais, mas como se comportam na narrativa construída, ou seja, como as composições se movimentarão na tela. O objetivo pode ser informar, chamar atenção do espectador, criar dinamismo, etc.

Certo. Mas qual a diferença entre Animação e Motion?
A animação possui personagens e apresenta uma história de forma linear, assim como vemos os filmes da Pixar, como "Luca". Já o motion, mesmo seguindo em alguns casos storyboard, usa de elementos visuais, grafismos e formas para comunicações diversas. Seja para informar ou contar uma história.
Já pensou em ser um motion designer?

Motion Design é mais do que projetar e animar. É transmitir mensagens e sensações através de filmes animados.


Professor: Fabiano Broki


Profissional com mais de 20 anos de experiência em criação. Tem no currículo participação em filmes vencedores de festivais como Annecy, Cannes Lions, D&AD entre outros.


Atualmente, trabalha na Vetor Zero/Lobo e assina seus projetos como Diretor, Diretor de Arte, Diretor de Animação, supervisionando o trabalho de Motion Designers e Animadores.


A Vetor Zero/Lobo é um estúdio pioneiro no uso da computação gráfica com foco publicitário no Brasil e no exterior. É referência em inovação criativa, produzindo Motion Design para várias plataformas por meio de diversas técnicas como ilustração, animação 2D, 3D, stop motion e live action.