Programação & Data Science
Os 7 frameworks front-end
mais populares


Estamos em 2021 e vemos empresas descobrindo só agora que a experiência do usuário em seus sites e apps é uma prioridade vital. Não importa como as várias operações e funções ocorram no plano da programação, a visão e a experiência dos usuários devem ser impecáveis.

Criar uma experiência do usuário sem falhas para clientes é um desafio para inúmeras organizações, mas pouca gente sabe que essa tarefa também requer o uso de estruturas de front-end que agilizam o desenvolvimento de sites interativos com foco no usuário. Grandes empresas que conhecemos as utilizam como Facebook, Instagram e Netflix. Nenhuma surpresa até aqui...

Do comércio eletrônico a banco on-line, bilhões de pessoas em todo o mundo usam aplicações da web (desktop e mobile) para absolutamente tudo. Essas aplicações oferecem experiências de usuário e interfaces frequentemente aprimoradas de acordo com nosso comportamento. Mas como estas aplicações conseguem tanta precisão? Parte do crédito vai para estruturas amplamente utilizadas como os frameworks que facilitam a criação de aplicações web robustas.
Estas estruturas são conhecidas como “frameworks”. Assim sendo, o desenvolvimento front-end da web é resumidamente o processo de transformar dados numa interface gráfica por intermédio do uso de linguagens de programação como CSS, HTML e JavaScript para que os usuários possam interagir visualmente com esses dados.

Os "frameworks CSS", como também são chamados, são pacotes que compreendem códigos já escritos em pastas e arquivos. Eles oferecem ao desenvolvedor uma base pré-pronta para programar, ao mesmo tempo que permitem flexibilidade com o design proposto. Portanto, os frameworks são de fato uma parte intrínseca do desenvolvimento web.

Para quem já é do ramo, existem inúmeras plataformas e ferramentas como Joomla, Drupal e Wordpress que podem ser utilizadas para construir o front-end de um site. WordPress talvez seja a mais conhecida entre elas, porém, é necessário para qualquer engenheiro de front-end compreender quais frameworks são os mais adequados para tarefas específicas no desenvolvimento de um site escalável bem projetado e, principalmente, adaptável para dispositivos móveis como tablets e smartphones.

Pensando nisso, elaboramos uma lista com os 7 frameworks mais populares entre desenvolvedores, confira na íntegra a seguir:
React.js   

O React.js surgiu em 2011 quando foi implantado no feed do Facebook. Seu criador, o engenheiro de software Jordan Walke, pensou numa aplicação web onde dados são exibidos sem haver um novo carregamento da página, exatamente como funcionam as curtidas do Facebook: elas aumentam ou diminuem sem a necessidade de se apertar a tecla F5 constantemente. Este simples recurso facilitou imensamente o desenvolvimento de interfaces de usuários modernas e complexas. 

Tecnicamente falando, React.js é uma biblioteca de JavaScript, de código aberto, usada para desenvolver interfaces de usuários, especialmente aplicações de página única (SPAs). Pode ser combinada com outros frameworks de JavaScript, como o Angular.JS. Suas principais características positivas são a rapidez, escalabilidade e simplicidade. Aliás, a biblioteca React.js é usada para lidar com a camada de visualização de aplicações da web e mobile e permite a criação de componentes de UI reutilizáveis.
Angular

Angular é um framework escrito em TypeScript. com o objetivo desenvolver aplicações em projetos em pequena ou larga escala. Esta estrutura é mantida e desenvolvida pelo Google.

Tendo seu suporte totalmente orientado ao mobile, este é um framework cujo código pode ser reescrito para web, web mobile, mobile native e desktop native. Seu conjunto de bibliotecas possibilita o desenvolvimento de aplicações com qualidade surpreendente. Além disso, o Angular amplia o desempenho de daquelas criadas para navegadores ao usar a vinculação bidirecional de dados.

Aplicativos populares como o PayPal e sites de empresas como Sony e The Guardian são suportados por intermédio deste framework.
Ember.js

Você certamente já ouviu falar sobre este framework. Ember.js. é uma estrutura em JavaScript de código aberto que é usada no desenvolvimento aplicativos de página únicas (SPAs). O Ember.js fornece propriedades customizadas, além de veiculações úteis em suas configurações prontas para renderização conforme necessário.

Embora o Ember seja um dos frameworks front-end mais antigos em comparação com seus colegas de turma como Svelte, Vue e React, ele ainda tem uma grande base de usuários e é excelente no seu propósito. Empresas como Microsoft, LinkedIn, Netflix, Twitch, etc. estão entre seus clientes.
Vue

Este é definitivamente um dos frameworks de front-end mais populares da atualidade. O Vue é uma estrutura direta e simples, sem as complexidades do Angular. É menor em tamanho e oferece duas vantagens principais: um DOM Virtual e uma abordagem baseada em componentes na construção de interfaces de usuário. É também um ecossistema de ligação bidirecional que pode lidar com processos dinâmicos e simples facilmente.

Com o Vue, é possível desenvolver projetos colocando-os em aplicações gigantescas, sendo útil em várias tarefas. O framework Vue é a estrutura por trás do Alibaba, 9gag, Reuters e Xiaomi.
Svelte.js

Svelte.js é igualmente um framework JavaScript baseado em componentes de código aberto em Typescript. É apresentado como uma ideia revolucionária. Svelte, ao contrário de React ou Vue, não tem DOM Virtual e não requer alto processamento do navegador. Em vez disso, você cria componentes livres de padrões em código JavaScript, CSS e HTML simples.

Este framework é ideal o desenvolvimento de aplicações de ultrarrápidas que dependem minimamente de dados dos usuários, ele também apresenta nenhuma necessidade de bibliotecas de gerenciamento complexas. Entre seus clientes estão Godaddy, Razorpay e a publicação The New York Times.
Backbone.js

Backbone.js é uma estrutura de fácil implantação que permite rapidamente desenvolver SPAs, as aplicações de páginas únicas. De estrutura leve e fácil aprendizado, com este framework também é possível desenvolver projetos que requeiram diferentes tipos de usuários, onde os arranjos são usados ​​para distinguir os modelos. Portanto, independentemente de você ter a intenção de usar Backbone.js para back-end ou front-end, esta é a escolha ideal, pois sua compatibilidade com a API Rest oferece sincronização perfeita entre os dois.

Backbone.js é usado em aplicações dinâmicas como o site de gerenciamento de tarefas Trello. Também auxilia na construção de modelos de atualização mais rápida e permite reutilização do código.

Preact.js

PreactJS é uma estrutura de framework que foi desenvolvida com o objetivo de fornecer alto desempenho, eficiência de memória e compatibilidade próxima com a API React. O Preact está sendo cada vez mais adotado por grandes empresas como Lyft, Uber e Tencent.

O Preact.js segue uma abordagem baseada em componentes com DOM Virtual, sendo totalmente compatível com o framework React. Aliás, o Preact.js é considerado uma alternativa ao React com alto desempenho e leveza graças ao seu tamanho compacto com apenas 3KB.

Você sabe discernir o

melhor framework para seu projeto?

À medida que novas tecnologias surgem e se tornam populares, a profissão engenheiro front-end cresce cada vez mais junto com as oportunidades no mercado de trabalho. Pensando nisso, a EBAC lança o curso Profissão: Engenheiro Front-end.


Domine as principais tecnologias Front-end, desenvolva uma carreira promissora e tenha oportunidades de trabalho no mundo todo. Com este curso, você aprenderá a produzir layouts de produtos digitais, a criar aplicativos web e a trabalhar com HTML, CSS e JavaScript tornando-se assim um Desenvolvedor Front-end completo.


Nosso professor: Marcelo Cavalcante


Desenvolvedor web desde 2008, com ampla experiência em projetos para internet, incluindo dispositivos móveis, marketing e performance digital. Trabalhou em empresas como UOL, Valor Econômico, Editora Abril e PagSeguro, além de oferecer consultorias para diversas marcas nacionais e multinacionais. Tem ampla experiência com React, JavaScript, HTML5, SASS, Node.js, Vue.js, Next.js e Laravel.