Design
Sound Designer: muito além da trilha sonora
Seja na produção de filmes e vídeos, ou na indústria de tecnologia, games e entretenimento, o designer de som é indispensável. De trilhas a efeitos sonoros, ele ajuda a criar narrativas inesquecíveis - quem não baseia o rugido de um dinossauro (que não sabemos como é o real) no apresentado no filme Jurassic Park, se lembra do som dos sabres de luz em Star Wars ou fica assustado ao ouvir a “música” que marcou a cena das facadas em Psicose?

A profissão de Sound Designer é muito promissora: a demanda é alta (afinal, praticamente qualquer mídia precisa de som) e os especialistas na área ainda são poucos. Junte a isso os altos salários e a versatilidade (um sound designer pode trabalhar de qualquer lugar do mundo) e o resultado é uma área que é realmente um sonho para os amantes de sons.
O design de som é o processo de gravação, compra, manipulação ou geração de elementos de áudio.
Mas afinal, o que é Sound Design?

O design de som é o processo de gravação, compra, manipulação ou geração de elementos de áudio. Ele mais comumente envolve a manipulação de áudio previamente composto ou gravado mas, em alguns casos, também pode significar a criação de um som que ainda não existe.

Qual formação preciso ter?

“Existem formações acadêmicas em Sound Design mas, como qualquer arte no mundo, podemos chegar lá também através do estudo, prática e oportunidades”, conta Mateus Polati, Senior Sound Designer que se formou inicialmente em música.

Fernando Pepe, Lead Audio da Wildlife Studios, concorda e indica procurar por cursos técnicos para aprender a lidar com as partes mais específicas da profissão.

Soft skills (habilidade não-técnicas)

Além da técnica, para ter sucesso, o Sound Designer profissional deve ter criatividade e imaginação, um sentido de audição bem desenvolvido (o que Mateus e Pepe chamam de “ouvido crítico''), lidar bem com feedbacks e vontade de ajudar no processo de contar histórias.

O Trabalho do Designer

Como apontam os profissionais, o dia a dia do Sound Designer é bem dinâmico.

Ele precisa trabalhar em colaboração com o diretor e até roteiristas, reunindo o máximo de informações possível sobre qualquer som ou música necessário.

A partir daí, ele vai criar efeitos sonoros, atmosferas, texturas sônicas e ambientes para o mundo imaginado. Esse processo acontece em 3 etapas:

Gravação e Design
O som e os efeitos sonoros podem ser criados de várias maneiras. Bibliotecas de sons, como Sonniss ou BOOM Library, oferecem uma coleção de sons já prontos disponíveis para você usar a um custo baixo. Se você está trabalhando em um filme simples, este pode ser um ótimo começo.

Outra maneira de construir um som é fazendo você mesmo, captando barulhos que você poderá depois editar para criar algo novo -- Gary Rydstrom, Sound Designer de Jurassic Park, por exemplo, manipulou os sons dos dinossauros a partir dos de gansos, golfinhos e cavalos.

Criar sons digitalmente “do zero” também é outra opção. Para isso, você precisará de sintetizadores.
Edição de Som
O processo de edição é essencialmente limpar e reorganizar o áudio adquirido para que ele se encaixe no que você está trabalhando. Ou seja, reduzir os 2 minutos de sons para aquela cena de 20 segundos.

Mixagem de gravação
Depois que o som está editado, você precisa inseri-lo na mídia. Mas ele vai dividir espaço com outros sons (de pessoas falando, de música, de outros barulhos…). É então que vem a parte de mixagem e cabe ao Sound Designer definir os parâmetros e volumes de cada um dos barulhos da cena para que ela fique legal.
Salário médio de um Sound Designer
Segundo dados de referência do Educa Mais Brasil, de 2021, o salário médio de um Sound Designer pleno fica em torno de R$ 7.316,58 por mês. Para aqueles que atingem o nível sênior na profissão, a média salarial é R$ 9.511,55. Já, para os que avançam na carreira e se tornam master, o salário fica em torno de R$ 12.365,02. Nada mal, não é?

Dicas para quem está começando

Interessou pela profissão? Os profissionais dão dicas práticas para você ingressar de vez nesse mercado:

“Fazer algum curso para criar uma base de estudo vai ajudar a entrar no mercado, porém a dedicação, pesquisa, prática e experiência mesmo em projetos pessoais é o que te dará margem para entrar. Participar de eventos pode te conectar com outros da área que podem criar oportunidades.” -- Fernando Pepe.

“Não existe corta-caminho, é preciso dedicação ao estudos das técnicas de produção de som, curiosidade em aprofundar e ampliar conhecimento e, o mais importante, paixão. Todas essas coisas em harmonia vão te abrir as portas necessárias para ingressar no mercado de audiovisual.” -- Mateus Polati.

O sound design está em tudo

Seja na produção de filmes e vídeos, ou na indústria de tecnologia, games e entretenimento, o designer de som é indispensável. De trilhas a efeitos sonoros, ele ajuda a criar narrativas audiovisuais inesquecíveis. Os especialistas na área ainda são poucos e as oportunidades são vastas em um mercado aquecido e que remunera bem.


Domine a criação de projetos de som para cinema, TV, games, apps e muito mais. Aprenda fluxos de trabalho, processos e tecnologias da gravação à mixagem. Torne-se um sound designer e transforme sua paixão por música em efeitos e trilhas sonoras de sucesso.


Nossos professores:


Fernando Pepe

Audio Lead na Wildlife Studio


Fernando Pepe é designer de som e compositor para jogos. Começou sua carreira em 2011 e desde então já soma mais de 50 projetos.


Mateus Polati

Music composer e designer de som na Wildlife Studio


Além de compositor e designer de som na Wildlife Studios, ministra workshops e aulas sobre música e a cultura brasileira da bateria.