Como é ser um Tech Artist

Você já conhece essa profissão? Nós explicamos como ser um tech artist pode ser uma ótima maneira de entrar no mercado de jogos e entretenimento.

14 de abril, 2022

Como é ser um Tech Artist

Você já conhece essa profissão? Nós explicamos como ser um tech artist pode ser uma ótima maneira de entrar no mercado de jogos e entretenimento.

14 de abril, 2022

Com o grande crescimento no setor de games no mundo todo, incluindo o Brasil, as oportunidades de carreiras na área também aumentaram. A complexidade e qualidade dos jogos evoluíram e, com isso, a produção destes games passou a contar com mais etapas e mais pessoas envolvidas.

O Tech Artist, ou Artista Técnico, é um dos profissionais que faz parte desse processo. Como o próprio nome já diz, é uma pessoa que une conhecimentos técnicos e artísticos, o que a possibilita ser responsável por diferentes tipos de demandas.

Para esclarecer o que é e o que faz esse profissional, conversamos com William Kimura, Tech Artist e professor do curso de animação 3D aqui da EBAC, e vamos explicar com mais detalhes o que envolve essa profissão.

O que é um Tech Artist

De uma forma geral, podemos dizer que o um game é formado por duas partes significativas: a visual e a técnica. Por visual podemos compreender tudo aquilo que é gráfico e que o usuário pode ver durante o jogo. Já a parte técnica diz respeito sobre toda a estrutura e engenharia que dá vida aos gráficos e faz com que o jogo aconteça.

A forma mais simples e resumida de explicar o que é um Tech Artist seria dizer que ele é um intermédio entre o programador, responsável pela parte técnica do game, e o artista, responsável pela parte visual. Esta é uma forma simplista para definir esse profissional, mas podemos usá-la como um ponto de partida.

Imagine uma equipe que de um lado possui um artista que sabe muito bem como tornar o visual do game interessante e atrativo. E do outro lado, um programador responsável por dar vida ao jogo com a melhor performance e desempenho possível, ou seja, permitindo que o jogo funcione na maioria dos dispositivos, sem travar ou apresentar erros.

O Tech Artist será o profissional que fará a conexão da parte visual à parte técnica. Ele poderá organizar e montar as criações 2D e/ou 3D fornecidas pelos artistas dentro da game engine (motor de video-games); adicionar animações aos objetos e personagens ou adicionar programações que auxiliarão tanto na estrutura organizacional do jogo, quanto na impressão dos seus gráficos.

Ainda, de acordo com William, podemos dividir os Tech Artists em dois grupos de profissionais diferentes. Um deles sendo mais voltado para funções de programação, e o outro mais ligado aos processos artísticos, que podem aparecer em funções com nomes diferentes mas que ainda são derivações do Tech Artist.

O que faz um Tech Artist

As funções de um Tech Artist podem variar muito dependendo do tipo de projeto, do estúdio e até mesmo do tamanho da equipe. Por exemplo, um mesmo projeto pode contar com mais de um artista técnico, cuidando de diferentes demandas. Por isso mesmo podemos dividir estes profissionais em grupos diferentes, pois sua atuação pode variar bastante.

O tech artist + programação

Quando pensamos no profissional com atuação mais próxima da parte técnica e de programação, ele irá atuar principalmente no que chamamos de demandas de pipeline, que se refere a uma série de processos do desenvolvimento do jogo, desde a sua pré-produção e organização até sua montagem para o desenvolvimento. Estas demandas de pipeline envolvem:

  • Definição do pipeline de criação: é função do Tech Artist definir alguns processos com as artes feitas pelos artistas para a elaboração dos materiais que irão compor o game. Com isso, o tech artist procura evitar problemas futuros na integração dos materiais com as ferramentas de desenvolvimento, como problemas com a compatibilidade no formato de arquivos, ou como estes arquivos devem estar organizados em diferentes pastas.
  • Entrega dos Assets: aqui podemos entender por assets (ativos) todos estes materiais que fazem parte do projeto, como modelos 3D, texturas e áudios. O artista técnico fica responsável por integrar os assets dentro da Game Engine - ferramenta utilizada para a montagem do jogo, como Unity ou Unreal Engine.
Nesse conjunto de assets há o arquivo FBX (arquivo com a malha 3D + Joints + Animação) do personagem e as texturas que serão aplicadas dentro da Engine
  • Tooling: esta é uma das demandas na qual se destaca a necessidade do cunho programador do tech artist. Tooling consiste na criação de ferramentas que irão auxiliar na otimização da produção, principalmente para os artistas, como ferramentas para exportar e integrar automaticamente alguns assets (ativos) ao projeto. Dessa forma, alguns processos que seriam manuais e/ou demorados podem ser feitos de forma automática, e os profissionais podem se concentrar em outras demandas.

O tech artist + gráficos

Já quando falamos sobre os tech artists mais envolvidos com o processo artístico do projeto, estamos nos referindo ao profissional que atuará sobre as chamadas demandas de conteúdo, nas quais ele também atuará no desenvolvimento de elementos que estarão no jogo. Dentre estas demandas, temos:

  • Desenvolvimento do Rigging, uma espécie de esqueleto atribuído a uma malha, que permitirá a animação do objeto ou personagem. No processo de rigging também há a criação de controladores, que são aplicados nas articulações do personagem e são os responsáveis por controlar os movimentos deste esqueleto. O rigging é uma etapa essencial que precede o processo de animação.
  • Elaboração de efeitos visuais (VFX) dentro da Game Engine que está sendo utilizada para o desenvolvimento do jogo. Essa é uma demanda muito importante para o profissional que se envolve com a parte artística. É necessário ter bastante conhecimento técnico do desenvolvimento de partículas, formadas por imagens ou shaders coordenados que simulam aspectos físicos. Normalmente estas partículas representam elementos da natureza, como vento, fogo, água, fumaça e brilhos.
  • Ajustes de iluminação também é outra demanda que envolve um conhecimento profundo da Game Engine, uma vez que este é fator que impacta bastante no processamento de imagens e, consequentemente, no desempenho dos jogos. Portanto, é função do Tech Artist entender como utilizar diferentes técnicas para diminuir o peso de processamento da iluminação nos jogos.
  • Criação dos Shaders, responsáveis por determinar como as texturas devem se comportar de acordo com a iluminação. Os shaders são feitos através de expressões algorítmicas, ou seja, são uma sequência de instruções em código que determinam a execução de tarefas e cálculos automaticamente. Assim como acontece com a iluminação, saber trabalhar bem com shaders também auxiliará na otimização do desempenho do game.
  • Fazer a animação 3D ou 2D de personagens e objetos na Game Engine também é parte do escopo do tech artist.
  • Definição do pipeline de renderização a ser utilizado, que será o processo que a Game Engine utilizará para “desenhar” os gráficos na tela.
  • Há alguns profissionais de tech art que atendem demandas de UI (interface do usuário), definindo e desenhando o modelo de menus, textos, botões e interfaces responsivas em diferentes telas. Apesar de também trabalhar com interfaces, este é um profissional diferente dos UI designers de produtos digitais e websites. Suas ferramentas de trabalho incluem o Photoshop, Illustrator e a própria Game Engine.

Conhecimentos e habilidades para ser um Tech Artist

Podemos ver que este é um profissional que se envolve com diversas demandas e precisará desenvolver algumas habilidades ao longo de sua carreira. De início, William aponta que, independente do tipo de tech artist que você quer ser, é essencial conhecer muito bem a Game Engine com a qual irá trabalhar. Hoje em dia, as ferramentas mais utilizadas no mercado são Unity e Unreal Engine.

Para quem busca a profissão pelo seu viés mais artístico, também é muito importante conhecer o processo de criação e as ferramentas de artes em 3D, como o Blender e o Maya, e em 2D, como o Photoshop. Você não precisa necessariamente se tornar um artista, mas entender como as ferramentas funcionam terá bastante valor ao se envolver com a animação de personagens e a criação dos assets.

Já para os que buscam ser um tech artist mais envolvido com a parte de programação, William indica que as linguagens mais utilizadas na área são C# (C sharp para Unity) e C++ (para Unreal Engine). Portanto, essas são linguagens de programação que vale a pena você prestar um pouco mais de atenção no seu processo de estudo.

Além destas habilidades técnicas, um tech artist também precisa saber se comunicar, trabalhar bem em equipe e ser organizado, já que será o responsável por conectar o trabalho de diferentes áreas durante o desenvolvimento do projeto. William também pontua que melhorar o nível de Inglês pode se mostrar necessário ao longo do tempo, uma vez que muitas ferramentas e tutoriais são baseados neste idioma.

A crescente demanda no mercado de Games no Brasil e no mundo

O mercado de games já é o que mais fatura na área do entretenimento, envolvendo desde hardwares e softwares até os games em si. Já esperava-se um grande crescimento no setor de games, mas com a chegada da pandemia em 2020 esse movimento foi mais acelerado, chegando a um faturamento mundial de cerca de US$ 175,8 bilhões em 2021.

Esse crescimento acelerado gera uma demanda por profissionais qualificados no mundo todo, e os tech artists também fazem parte dessa lista. Ainda, William aponta que algumas empresas já buscam por profissionais para cargos que seriam “derivados” do tech artist, como “Unity Artist”, que seria um artista especialista em determinadas funções dentro de uma Game Engine específica, ou profissionais especialistas em VFX (efeitos especiais), entre outros subsegmentos que fazem parte das demandas gerais do tech artist.

Uma forma de se manter atualizado para o mercado de trabalho é acompanhar como as vagas de emprego são anunciadas e quais as habilidades mais requisitadas. Esse também pode ser um forte ponto de partida para buscar especializações.

No Brasil, apesar de haver poucos estúdios de grande porte, há uma crescente demanda por profissionais em empresas nacionais, sejam para projetos internos ou para atender demandas terceirizadas por outras marcas. Além disso, apesar de não operarem fisicamente por aqui, há muitos estúdios de outros países que buscam por profissionais no mercado brasileiro.

Por onde começar

Não existe um caminho certo e único para se tornar um tech artist. Essa é uma área que conta com profissionais que vieram de diferentes setores, com diferentes formações. Por exemplo, nosso professor William Kimura possui formação em design gráfico e, ao longo da sua carreira, realizou algumas especializações que o levaram à tech art. Há também profissionais que começam com uma formação em jogos digitais, ciência ou engenharia da computação, ou até mesmo desenvolvimento de softwares.

Pode parecer redundante, mas o importante nessa trajetória é entender qual tipo de tech artist você deseja ser, quais demandas poderá atender e quais as habilidades necessárias para isso. Dessa forma, você poderá traçar o melhor caminho para sua profissionalização, seja através de uma graduação na área de games, ou por cursos especializantes em algum dos processos que fazem parte da construção de jogos digitais, como uma especialização nas Game Engines Unreal e Unity, ou animação e modelagem 3D.