Programming

Como é o dia a dia de um profissional de BI?
Na prática, quais as possibilidades de atuação e a faixa salaria? Saiba mais sobre a carreira de Business Intelligence
Um profissional capaz de organizar, gerenciar e visualizar o potencial dos dados coletados por uma empresa é extremamente valioso para fazer com que o negócio cresça, certo? É por isso que a profissão de especialista em BI vem crescendo cada vez mais.

BI significa Business Intelligence (Inteligência de Negócio) e, a grosso modo, significa transformar dados coletados em percepções que geram valor. Os analistas de BI podem identificar tendências que podem ajudar outros departamentos, gerentes e executivos a tomar decisões de negócios para modernizar e melhorar os processos na organização.
O que faz um profissional de BI?
Os analistas de BI normalmente descobrem áreas de perda de dinheiro e identificam onde podem ser feitas melhorias para economizar ou aumentar os lucros. Mas há também áreas como BI de Social Listening, que analisa os dados de redes sociais e estudam como eles podem crescer e ser valiosos para o negócio.

Isso é feito minerando dados complexos usando software e ferramentas de BI como o Power BI, comparando dados com concorrentes e tendências do setor e criando visualizações que comunicam as descobertas a outras pessoas na organização.
Como é o dia a dia de um profissional de BI?
“Primeiramente, é importante ressaltar que o profissional de BI ajuda a organização a colocar os dados no centro de suas ações e decisões mais importantes, então o dia típico de um profissional é bem dinâmico, é um dia com muita interação com dados, executando processos de integração de dados através das ferramentas que compõem o Power BI”, explica Jonatas Franklin de Melo, professor da EBAC e gerente de sistemas na Kantar.

As descrições do cargo variam de acordo com a empresa, mas essas são algumas das responsabilidades gerais para as quais você pode se preparar:
  • Revisar e validar os dados do cliente conforme eles são coletados
  • Supervisionar a implantação de dados no data warehouse
  • Monitorar resultados de análises e métricas
  • Implementar novas metodologias de análise de dados
  • Revisar os arquivos para garantir a integridade da coleta e utilização de dados
  • Executar o perfil de dados para identificar e entender anomalias.

Geralmente ele responde a uma única área ou a várias?
“Não existe uma regra que define para qual área o profissional de BI irá responder, mas usualmente é para uma área específica, podendo ser Engenharia de Dados, Operações, Ciência de Dados, Análise de Dados etc... É algo particular de cada empresa”, diz Jonatas.
É preciso ter uma formação prévia específica?
“Acredito que o mercado vem mudando bastante nos últimos anos, ou seja, o profissional precisa conquistar conhecimento e não obrigatoriamente ter uma formação específica, mas é claro que se houver uma formação prévia em áreas como análise de dados ou engenharia de dados, isso pode ser um diferencial, mas o principal é ter conhecimento e sempre buscar por atualizações e tendências”, explica o professor.

A BI de Social Listening Gabriela Leão, por exemplo, é formada em jornalismo. “Fui chamada para essa vaga de análise de métricas de redes sociais. Cabe ao B.I. de social listening operar ferramentas e enxergar padrões e tendências em meio aos dados. Eu estava chegando nesse mundo e precisava de um contexto do que estava acontecendo ali então comecei com cursos gratuitos e muitos vídeos do YouTube sobre performance de posts. Percebi que havia a necessidade de me especializar e, então, procurei cursos pagos”, conta ela.
Durante essa jornada aprendi a utilizar ferramentas que trazem uma visualização simplificada do big data. Ou seja, você pode trabalhar com números utilizando esses visualizadores que já trazem porcentagens, volumes e toda a parte 'de exatas'. Cabe ao B.I. de social listening ter a inteligência em operar essas ferramentas e enxergar padrões e tendências em meio aos dados
Gabriela Leão, Social Listening B.I.
Quais soft skills são necessárias?
Para se tornar um analista de BI de sucesso, você precisará de uma mistura de habilidades técnicas e de personalidade (as chamadas “soft skills”). Habilidades populares de analista de BI incluem:
  • Organização;
  • Capacidade de analisar números (não fazer contar, mas saber analisar os dados de porcentagens e volumes, como explica Gabriela);
  • Ter curiosidade e proatividade para encontrar tendências e estratégias de concorrentes;
  • Pensamento crítico e resolução de problemas;
  • Habilidades de comunicação para comunicar os dados às outras áreas de modo a ajudá-las a melhorar.

Que caminhos você aconselharia a alguém que quer migrar para essa área?
“Primeiramente, busque por conhecimento, capacitação, e esteja aberto a novos desafios. Uma carreira no BI tem futuro promissor com grandes recompensas, o BI tem um papel importante na inovação digital baseada em dados”, indica Jonatas.

Salário do analista de inteligência de negócios
Segundo dados do portal Glassdoor para a região de São Paulo, o salário de iniciante é de cerca de R$ 4.314 por mês.
O cargo de analista de BI recebe a média de R$ 5.789 por mês e o coordenador de BI R$ 12.000 por mês.
No curso de Power BI você aprende os processos e técnicas assim como as ferramentas para levantar as informações necessárias para relatórios e análises. "O Power BI trata o dado desde sua origem até a etapa de visualização, através da tecnologia fornecida pela ferramenta é muito mais fácil gerar insights, criar métricas de acompanhamento, identificar tendências.

Quer aprender a ler dados sem a ajuda de alguém do TI?

A EBAC acaba de lançar o curso Power BI pensando em quem busca mais inteligência de negócios por meio da tecnologia mas também quer autonomia, sem depender de um programador para extrair e modelar os dados. 


O curso é indicado para iniciantes, especialistas do marketing, especialistas em vendas, analistas BI. Se você quer se atualizar e usar o Power BI para se destacar no mercado, a hora é agora!

Nosso professor: Jonatas Franklin de Melo


Formado em Sistemas de Informação e pós-graduado pela Universidade Mackenzie em Compliance Digital. No mercado de tecnologia desde 1999, começou como desenvolvedor e criou soluções voltadas à pesquisa de mercado. Atualmente, integra soluções corporativas com foco no cliente externo, entregando resultados de forma automatizada via dashboards online na Kantar Insights. Lidera também o time de segurança da informação para garantir o sigilo e a confidencialidade das informações de clientes, entrevistados e funcionários. Trabalhou em grandes empresas do setor, como a Ipsos e a TNS RI, e possui diversas certificações como MSSQL Business Intelligence e POWERBI - analyzing data.