Design

O que é paisagismo: tipos, técnicas e como se tornar um paisagista

Entenda mais sobre essa área e o profissional que tem a função de conectar natureza e seres humanos, deixando ambientes mais agradáveis e funcionais

21 de abril, 2022

Se você já parou para admirar um parque no meio da cidade ou se impressionou com a estética de um hotel fazenda, há um motivo: o projeto de paisagismo do local foi bem executado.

O paisagismo é uma técnica que tem o intuito de projetar, planejar, fazer a gestão e a preservação de espaços livres. Estes espaços podem ser públicos ou privados, urbanos ou não-urbanos. Além da estética, o paisagismo se preocupa também em fazer a integração entre a natureza e os seres humanos.

Neste artigo, falamos sobre paisagismo, os seus tipos e técnicas e a respeito do profissional responsável por desenvolver esses projetos: o paisagista.

O que é paisagismo

O paisagismo - também conhecido como arquitetura de paisagem - surge como uma solução para recompor espaços. Mais do que organizar a paisagem e deixá-la esteticamente agradável, o paisagismo busca harmonizar a interação do ser humano com o meio ambiente. Por isso, a técnica também procura fazer com que as paisagens fiquem práticas, funcionais e confortáveis.

Para chegar ao resultado desejado, porém, não basta só distribuir plantas no ambiente. O paisagismo é uma técnica que usa recursos artesanais, combina cores e formatos, entre outros elementos. Em conjunto, todos eles formam composições agradáveis, equilibradas e úteis, vantajosas para os seres humanos e para o meio ambiente.

Por isso, parques com áreas para crianças brincar ou para uma família fazer piquenique; jardins botânicos, ruas arborizadas; uma parede com plantas dentro de um escritório ou um hotel ecológico onde há espaço para pesca esportiva são exemplos do que o paisagismo pode proporcionar.

Tipos de paisagismo

Existem alguns tipos de paisagismo. O paisagismo urbano, rural e de áreas internas são alguns deles.

  • Paisagismo urbano

Por muito tempo as áreas verdes de um centro urbano foram deixadas de lado, dando espaço a prédios, asfaltos e poluição. É neste cenário de concreto em que as pessoas vivem o seu dia a dia, muitas vezes conturbado.

Para amenizar o cinza das cidades e aumentar a qualidade de vida da população, o paisagismo urbano surge para valorizar os espaços de lazer, recreação, áreas de convívio social, parques, praças e áreas verdes. Em tempos em que o estresse faz parte da vida das pessoas, o maior contato com a natureza pode ser benéfico para reduzir a pressão da rotina.

O paisagismo urbano surge para valorizar os espaços de uma cidade. Na foto, temos um registro de Tóquio, no Japão, onde há áreas arborizadas no meio da cidade, permitindo que pessoas possam ficar perto da natureza.

O paisagismo urbano também procura solucionar problemas que são típicos de cidades como o barulho. A inserção de áreas verdes contribui para redução de ruídos. Ele também pode trazer outras soluções como a diminuição da poluição do ar e a melhoria da infiltração de águas pluviais.

  • Paisagismo rural

Afastada do centro urbano, a área rural também recebe atenção dos paisagistas. O paisagismo rural tem o intuito de estimular ações de preservação do meio ambiente, já que esses locais normalmente já possuem elementos naturais como ar puro, árvores, rios e plantações.

Como as propriedades rurais podem funcionar, ao mesmo tempo, como um espaço de trabalho, moradia e lazer, o paisagismo pode fazer com que esses espaços se tornem agradáveis de se viver, ressaltando a beleza do lugar e também o tornando funcional.

Em uma propriedade rural, o paisagismo pode pensar em:

  • Espaços para colocar balanço e rede;
  • Construção de varandas e espaços para reunir pessoas;
  • Hortas caseiras para a produção de alimento;
  • Fazer com que o consumo de água seja sustentável;
  • Estimular a prática esportiva como futebol em grandes gramados ou trilhas em florestas.

Além de criar uma paisagem harmônica e melhorar a qualidade de vida, os proprietários rurais também vêm dando atenção ao paisagismo porque a técnica acaba aprimorando o espaço para receber pessoas interessadas no turismo ecológico. Este tipo de turismo é procurado por quem quer fugir dos centros urbanos e representa um potencial de renda para os proprietários rurais.

O paisagismo rural, além de estimular ações de preservação do meio ambiente, faz com que áreas rurais sejam aprimoradas para receber pessoas interessadas no turismo ecológico. Na foto, vemos duas pessoas em uma área não-urbana, aproveitando o tempo no meio da natureza.
  • Paisagismo de áreas internas

O paisagismo também se faz presente em ambientes internos. Neste caso, ele tem a função de complementar a decoração com elementos naturais, vivos e coloridos. Ele pode proporcionar algumas sensações como leveza e aconchego. Fazem parte do paisagismo interno projetos de jardins internos, jardins em terraços e sacadas.

Empresas também adotam projetos de paisagismo para tornar o seu ambiente mais agradável. Instalações monocromáticas, sem ventilação e com muitas luzes artificiais podem deixar o ambiente de trabalho tedioso ou até estressante. A partir de projetos de paisagismo, este ambiente pode ser transformado em um lugar arejado, relaxante e acolhedor, o que pode, inclusive, refletir na qualidade do trabalho dos colaboradores.

O paisagismo de áreas internas tem como intuito complementar a decoração com elementos naturais. Na foto, temos o bar do restaurante Botanikafé, localizado nos Jardins (SP), que possui um projeto de paisagismo interno.

Técnicas mais comuns de paisagismo

O paisagismo está cada vez mais presente no planejamento de áreas públicas e privadas. Por conta disso, há algumas técnicas que se tornam mais comuns nos projetos desenvolvidos pelos paisagistas. Soluções que envolvem jardim vertical, mobiliário externo para jardins, caminhos e trilhas são algumas delas.

  • Jardim vertical

Também conhecida como parede verde, o jardim vertical é uma estrutura com diferentes tipos de vegetação montada junto a uma parede. Esta é uma técnica que integra natureza e edificações e pode ser utilizada em ambientes internos e externos. Ou seja, grandes edifícios ou paredes internas de apartamentos podem receber os jardins verticais.

Além de dar vida ao ambiente, com uma mistura de plantas, flores e cores, os jardins verticais também funcionam como isolante térmico e acústico. Isso porque as plantas combatem as ilhas de calor das cidades e diminuem os ruídos externos. Elas também melhoram a qualidade do ar.

O jardim vertical é uma estrutura com diferentes tipos de vegetação montada junto a uma parede. Ele pode ser usado em ambientes internos e externos. Na foto, vemos a parede de uma casa que utilizou a técnica.
  • Mobiliário externo para jardins

Como falamos anteriormente, um dos intuitos do paisagismo é conectar natureza e seres humanos. Uma das formas de fazer isso é construir locais de recreação, convívio ou de contemplação em praças e jardins, sejam públicos ou privados.

Por isso, profissionais podem sugerir nos projetos móveis como mesas, bancos e gazebos (construção parecida com um quiosque). Dessa forma, há um estímulo para que seja feita uma integração com a natureza.

Móveis no jardim funcionam para estimular a conexão entre pessoas e natureza. Na foto, vemos exemplos de móveis que foram colocados em um jardim para que as pessoas possam se reunir neste ambiente.
  • Caminhos e trilhas

Ainda na ideia de fazer a conexão entre natureza e pessoas, os paisagistas podem sugerir a utilização de caminhos e trilhas em seus projetos. Esses são recursos que permitem às pessoas passearem pelos jardins, sem que enfrentem obstáculos ou danifiquem o que foi construído.

Os caminhos e as trilhas podem ser feitos com diferentes materiais como pedras ou cascalhos. Em locais privados, os caminhos e as trilhas podem levar as pessoas a fontes e gazebos. Quando feitos em locais públicos, eles podem levá-las a áreas onde há restaurantes ou banheiros, por exemplo.

Como se tornar um paisagista

Por trás do paisagismo, há um profissional responsável por colocar todos esses conhecimentos em prática: o paisagista. Com um mercado amplo e diversificado, este pode ser um bom momento para se tornar um paisagista.

Para entrar na área profissional, a pessoa precisa ter o domínio de diversos conhecimentos como arquitetura e urbanismo, agronomia, botânica, meio ambiente e artes plásticas. Por causa dessa multidisciplinaridade, há alguns passos que podem facilitar a formação desse profissional.

  • Cursos superiores

Graduações como a de arquitetura e urbanismo, agronomia, biologia ou engenharia ambiental são opções para quem está interessado em atuar como paisagista. Esses cursos superiores oferecem aos estudantes conteúdos que vão servir como base para a sua atuação profissional.

  • Pós-graduações, cursos técnicos e cursos livres

Para complementar a formação, os paisagistas podem optar por fazer pós-graduações, especializações, cursos técnicos ou cursos livres que são focados em paisagismo.

O curso da EBAC é um exemplo de curso livre. Ele foi estruturado para quem tem interesse em paisagismo e quer mergulhar nesse mercado que está em crescimento. Nele, são ensinadas todas as etapas que envolvem um projeto de paisagismo, da parte da pesquisa, compreensão de demandas à sua execução.

  • Livros, vídeos e podcasts

Investir em livros sobre áreas que tenham a ver com paisagismo também ajudam na formação do profissional. Além de ler sobre jardinagem e arquitetura, por exemplo, a pessoa também pode ir em busca de referências bibliográficas em artes, ecologia e climas.

Além disso, na internet há diversas pessoas falando sobre paisagismo no Youtube e também através de podcasts. Todos esses conteúdos auxiliam na formação profissional e o deixam por dentro das tendências do mercado.

Podcasts podem ser uma boa forma de adquirir conhecimento sobre paisagismo e ficar por dentro de tendências da área. Na foto, podcasts sobre o assunto disponíveis no Spotify.
  • Participação em eventos

Outra forma de enriquecer a formação profissional é participar de seminários e congressos. Há eventos como o Enflor & Garden Fair e o Encontro ANP de Paisagismo, promovido pela Associação Nacional de Paisagismo (ANP). Eventos on-line como webinars também são meios de estar em contato com assuntos relacionados à profissão.

A participação em eventos também faz com que o profissional amplie a sua rede de contatos com outras pessoas que estão atuando no mercado. Conhecer quem também está no mercado é enriquecedor, principalmente para quem quer iniciar na área, porque elas podem oferecer oportunidades de trabalho.

  • Visitação em áreas que possuem projetos paisagísticos

Ver na prática os projetos de outros paisagistas também é uma forma de absorver conhecimento. Então, visitar jardins botânicos, por exemplo, pode ser uma boa opção. Este pode ser um momento não só de contemplação do projeto, mas também de análise para entender as escolhas do profissional.

Seja um paisagista!

Se você gosta de paisagismo e quer aperfeiçoar projetos pessoais ou iniciar uma nova carreira ou se você já é um profissional e quer aumentar os seus conhecimentos para ganhar mais visibilidade, a EBAC pode auxiliar você nessa caminhada!

No curso de Paisagismo, o paisagista da MPrada e professor Maurício Prada vai ensiná-lo a criar projetos paisagísticos em diferentes áreas, além de projetar trilhas e criar jardins. Através do curso, você se tornará um especialista!