AUDIOVISUAL

Como a pandemia eliminou as barreiras para produções de filmes

Com um equipamento básico de filmagem e conhecimento de técnicas de roteiro e edição é possível criar histórias incríveis
O preço econômico da Covid-19 foi dramático e para a indústria de filmes não foi diferente: grande parte das salas de cinema foram fechadas e estúdios foram forçados a adiar os lançamentos de seus filmes para o próximo ano – ou pular completamente os lançamentos nos cinemas, colocando as obras direto em serviços de streaming. De acordo com empresa de análise de mídia Comscore, esse movimento derrubou a arrecadação de bilheteria pior que a de 2019 em 77,2%.

Mas isso abriu espaço para que cineastas independentes ganhassem holofotes, sem a competição massiva dos grandes estúdios.
Além disso, a produção de filmes para publicidade não teve pausa. “Ninguém parou de anunciar na pandemia, as marcas precisavam manter os clientes. E acho que até aumentou anúncios na televisão, já que as pessoas estavam em casa e as marcas precisavam estar onde elas estavam”, diz Marília Meirelles, diretora que junto com seu irmão Fábio, forma a dupla de direção Irmãos Meirelles.
“Algumas produções filmaram com o celular da própria pessoa ou mandaram um celular para a pessoa se filmar, já que é um aparelho mais amigável para quem não sabe mexer com a câmera. Na primeira parte da pandemia, isso virou a estética: o filme remoto”, diz Marília.
Ascensão da produção menos “trabalhada” e mais criativa

Tanto nas produções grandes quanto nas individuais, vimos a criatividade falar mais alto nas produções “pandêmicas”. Em um primeiro momento, as empresas perceberam que o que toca o público não são produções enormes e sim a identificação e, nesse sentido, filmes feitos em casa refletiam a realidade do telespectador.

Agora que já conhecemos um pouco mais sobre o vírus e maneiras de nos protegermos, há um segundo movimento, de mais “abertura”. Com o isolamento dando lugar para o distanciamento, surgiu uma maneira nova de se fazer as filmagens e isso afeta cada parte do processo de filmmaking de maneira diferente, como explica Marília:

A pré-produção nunca mais será a mesma
As diversas reuniões antes feitas presencialmente e que tomavam tempo de deslocamento passam a ser remotas. “A pandemia nos forçou a otimizar o processo e acredito que isso mudou para sempre.”

“Produções grandes se tornam híbridas”
Você conta com uma parcela da equipe -- que precisa ser mais especializada -- no local e a grande maioria fica remota. “O diretor de arte, por exemplo, tem que estar no local para medir, ver os objetos que vão compor a cena... Mesma coisa com a parte técnica, de montar equipamentos.”

“A pós-produção transforma o que foi captado em uma história”
A própria natureza da pós-produção já é mais solitária, no sentido que esses profissionais não precisam estar com a equipe de captação, então o dia-a-dia dessa etapa não foi afetado, no entanto “eles têm o desafio de fazer um filme captado com o celular ficar bom”, diz Marília.
Produções individuais: como se destacar
A pandemia abriu espaço para produções mais baratas mas, ainda assim, algumas áreas da produção exigem, sim, um aprendizado técnico e por isso, é ideal investir em cursos. Com o conhecimento certo, produtores independentes podem prosperar nessas condições.

“As pessoas já estavam acostumadas com conteúdo não-profissional por conta do YouTube e redes sociais. Muitas até preferem ver isso”, conta Marília.
Mas como se destacar em uma indústria tão saturada? A dica de Marília é: faça!
“Não tenha medo de produzir seu conteúdo. Essa é minha dica principal para quem quer entrar no mercado de filmmaking. Mesmo que você não tenha o melhor equipamento, transforme sua ideia em filme, só assim as pessoas vão te ver!”
Marilia Meirelles
Com um celular na mão uma câmera básica você pode fazer um filme vencedor de prêmios!

Você não precisa de equipamentos de última geração, câmeras com lentes potentes, estúdios equipados com chroma-key ou técnicas de pós-produção se tornar um filmmaker bem sucedido.


Neste curso, você terá aulas com a premiada dupla de cineastas, os irmãos Meirelles, e irá aprender como produzir um conteúdo audiovisual de qualidade profissional no melhor estilo guerrilha. Você verá que com um equipamento básico de filmagem e conhecimento de técnicas de roteiro e edição é possível criar histórias incríveis para suas redes sociais, empresas e clientes.


Nossos Professores: Marília e Fabio Meirelles 


Marilia e Fabio formam a dupla de diretores Irmãos Meirelles e atuam na publicidade, dirigindo campanhas para algumas das maiores marcas do mundo, como Coca-Cola, Nestlé, Converse Ambev. O projeto “Burn that Ad” para o Burger King recebeu 9 leões no Festival Cannes Lions, e o curta-metragem "Murayama" foi publicado em algumas das principais plataformas do audiovisual, como Boooom.tv, Director’s Notes e Daily Shortage. 


O filme “Late Night Stores” que dirigiram também para o Burger King, foi recentemente escolhido como “Ad of The Week” e “Best of The Month” no conceituado site Shots.net. Começaram a carreira na Lado de Dentro, produtora de filmes que fundaram em 2010, inicialmente atuando em eventos e institucionais e posteriormente na criação de conteúdo para marcas. 


Quer ser um filmmaker de sucesso que entende como desenvolver uma ideia num roteiro, filmar, editar e divulgar seu projeto? Este curso então é feito para você.