Carreira

Por que as habilidades são tão importantes para a sua carreira?

As habilidades vão além do saber fazer, podem ser divididas em diferentes categorias e são fundamentais para você chegar onde quer

14 de março, 2022

Carreira

Por que as habilidades são tão importantes para a sua carreira?

As habilidades vão além do saber fazer, podem ser divididas em diferentes categorias e são fundamentais para você chegar onde quer

14 de março, 2022

O ritmo de mudança do mercado de trabalho está cada vez mais veloz. E isso está muito relacionado à chamada 4ª Revolução Industrial (ou Indústria 4.0), notória pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas que estimulam novos modelos de negócios, formas de trabalho e habilidades.

Uma análise da PwC, multinacional de consultoria e auditoria, evidencia o impacto dessa automação nos empregos. Uma das conclusões do estudo, feito com mais de 200 mil empregos e em 29 países, é de que profissionais de funções mais manuais ou operacionais serão substituídos por empregos que requerem uma combinação de habilidades técnicas, digitais e sociais.

E é sobre habilidades que iremos falar. Nesse cenário de mudanças, você, assim como muitas outras pessoas, deve ter dúvidas sobre como se capacitar adequadamente e com qual velocidade e frequência para atender as demandas do mercado. Por isso, conversamos com Patrícia Bernardi, Talent Acquisition da EBAC, que explica o que é habilidade e o que você deve fazer para chegar onde quer.

O que é habilidade

Por habilidades, entende-se a qualidade de uma pessoa hábil, a capacidade para fazer alguma coisa. É o saber fazer.

Ou ainda, como indica o escritor norte-americano Robert Lee Katz, autor de Skills of an Effective Administrator, são as habilidades que transformam conhecimentos em ações para chegar a determinado objetivo. Nessa linha, Patrícia esclarece que a pessoa habilidosa sabe fazer algo e tem o comportamental e a motivação para fazer.

Na prática, como exemplo, é alguém que sabe usar um excel, coloca em prática esse conhecimento e tem a motivação para fazê-lo. Se a pessoa sabe usar o programa, mas não coloca isso em prática, pode-se dizer que ela tem o conhecimento, mas não a habilidade.

Dito isso, vamos desdobrar as habilidades nas categorias definidas pelo estudo da PwC, mencionado no início deste artigo.

Os principais tipos de habilidades

As habilidades são divididas em dois tipos: hard skills e soft skills.

As hard skills são aquelas que podem ser mais facilmente adquiridas por meio de cursos, treinamentos, leituras, etc. Também conhecidas como habilidades técnicas, abrangem o conhecimento e a capacidade de executar e realizar tarefas dentro de uma área específica.

Patrícia Bernardi, Talent Acquisition da EBAC

É a habilidade em uma determinada plataforma de comunicação, a fluência em um idioma específico, a capacidade de programar em uma linguagem de programação X. De forma geral, elas variam de carreira para carreira, ainda que algumas podem acabar se aplicando a diferentes segmentos. Com a pandemia e a necessidade de isolamento, boa parte dos profissionais precisou desenvolver a habilidade técnica de fazer reuniões utilizando ferramentas de videoconferência, por exemplo.

Como uma subcategoria das habilidades técnicas, entram as habilidades digitais, associadas à tecnologia digital. Geralmente, é uma carreira que passou por uma evolução e exigiu do profissional uma adaptação das habilidades para um contexto digital. Como exemplo, Patrícia cita um profissional de RH que tem como habilidade técnica fazer entrevistas. Ao expandir essa habilidade usando uma plataforma digital, como Gupy, ele adquire também uma habilidade digital.

As soft skills são as habilidades comportamentais (ou sociais) e têm relação com o nosso dia a dia. É a capacidade de comunicação, ter flexibilidade, habilidade de trabalhar em equipe, etc. Conforme aponta Patrícia, de tempos em tempos, algumas habilidades sociais ficam mais em evidência que outras. No entanto, ter bons relacionamentos e saber receber feedbacks são habilidades imprescindíveis, independente da carreira ou cargo. “Saber se relacionar é muito importante, pois ninguém trabalha sozinho”, explica.

A habilidade deve estar em constante evolução

Nenhuma habilidade pode ser adquirida apenas uma vez. Seja ela técnica/digital ou comportamental, é algo que deve estar em evolução.

Em especial, no segmento de TI, esse movimento é ainda mais rápido. Patrícia afirma que cientistas de dados, segurança da informação e programação, são algumas das funções e áreas que mudam em muito pouco tempo. Em um ano, é possível ficar obsoleto em uma ferramenta ou linguagem de programação, por exemplo. “Quanto mais digital uma carreira, mais rápida a necessidade de adquirir novas habilidades técnicas”, completa.

A velocidade com que novos conhecimentos e habilidades devem ser adquiridos pode variar de um segmento para outro. O que não muda é a necessidade dessa reciclagem para manter a empregabilidade em alta. A dica é acompanhar o que de mais inovador e relevante acontece em seu segmento de atuação ou de interesse e buscar as estratégias e as ferramentas para se manter em evolução.

Upskilling e reskilling: as maneiras de aprimorar as suas habilidades

Mais recentemente, termos como upskilling e reskilling entraram em evidência no mercado. Enquanto o primeiro se refere a adquirir habilidades para o crescimento no mesmo segmento de atuação, o segundo foca no aprendizado para uma transição de carreira.

O diferencial entre eles depende do seu plano: as habilidades de que você vai precisar para se desenvolver dentro da carreira em que já está podem ser diferentes das que você vai precisar para se desenvolver para uma nova carreira. Até mesmo dentro de uma mesma carreira, o caminho a ser traçado pode ser diferente. Se a sua intenção é ser um especialista, a trajetória será uma; se o objetivo é ser um líder, a trajetória será outra. “Se atuo em RH, posso optar por seguir com recrutamento ou com desenvolvimento. Mesmo estando em uma mesma carreira, o percurso é diferente”, exemplifica Patrícia.

O autoconhecimento para chegar às habilidades e ao caminho que você quer

No entanto, antes de definir quais habilidades devem ser adquiridas ou desenvolvidas, você precisa decidir o que quer e do que precisa. E, para tomar essa decisão, você precisa entender bem o que te motiva; você precisa de autoconhecimento.

Pergunte-se: onde estou? Onde quero chegar? Tenho realmente motivação para isso?

Conforme recomenda Patrícia, a questão do querer algo, do estar disposto para isso, deve sempre vir antes do como. “A pessoa pode ter todo o ferramental necessário para adquirir as habilidades. Mas, se a intenção não é real e forte, não vai chegar a lugar nenhum”, orienta.

E o autoconhecimento, especialmente o desenvolver de habilidades comportamentais, não é algo que acontece do dia para a noite. Trata-se de uma mudança mais profunda e que tem a ver com a maneira como você age no mundo. Você precisa, primeiro, tomar consciência do que quer e de como você se insere nesse cenário. É essa atitude que irá provocar a mudança.

Nessa trajetória de autoconhecimento e de aprimoramento de habilidades, você pode contar com vários recursos de apoio que irão gerar algum insight sobre você e o caminho que precisará trilhar para chegar onde quer:

  • Coaching de carreira para ajudar você em sua trajetória. O coach tem a função de auxiliar o assessorado (ou coachee) a enxergar com clareza o que realmente deseja para a carreira.
  • Terapia para auxiliar no processo de autoconhecimento, fundamental para que você conheça melhor o que te motiva e desmotiva e para apoiar na busca por soluções.
  • Cursos online, canais no YouTube, livros e palestras voltados ao autoconhecimento, desenvolvimento de habilidades e planejamento de carreira.
  • Bate-papos com amigos. Pessoas próximas a você podem ter uma visão apurada e imparcial das suas fortalezas e do que precisa desenvolver, o que enriquece muito nesse processo de autoconhecimento.

Com essas dicas valiosas, pratique o seu exercício de autoconhecimento e trace o seu plano de desenvolvimento. Busque os conhecimentos necessários e coloque-os em prática para efetivamente se tornarem habilidades. As habilidades, sejam elas técnicas/digitais ou comportamentais, são fundamentais para que você siga a trajetória que escolher com mais desenvoltura e confiança. E, lembre, esse é um ciclo de constante atualização de habilidades para que você esteja sempre em destaque profissionalmente!