Games
Como criar um jogo bem-sucedido para o mobile
O sucesso de um game vai além da qualidade do produto. O professor da EBAC Rafael Ferrari conta os passos além do desenvolvimento para seu jogo se destacar
De acordo com a Newzoo, plataforma de análises de jogos eletrônicos e pesquisa de mercado, a indústria de jogos para celulares deve atingir US $100 bilhões este ano, alcançando uma década com crescimento sempre na casa de, no mínimo, dois dígitos. 

Os jogos para mobile se tornaram um verdadeiro pote de ouro, e mais desenvolvedores  independentes estão sonhando em fazer “o novo Pokémon Go” mas, diante de tanta competição, como é possível se destacar no mercado? Nós conversamos com Rafael Ferrari, professor da EBAC do curso Unity do zero ao Pro  e CEO da Skullfish, que deu algumas dicas:
Fique de olho nas tendências de gênero
“É importante entender o que está em alta antes de começar a desenvolver um jogo. Por exemplo, hoje, um gênero bombando é o chamado hypercasual, que são jogos feitos muito rapidamente, desenvolvidos em cerca de uma semana. Muitas empresas estão apostando nisso.”
Eles se caracterizam como jogos com gráficos simples e sem muito desenvolvimento de história, então qualquer pessoa pode jogar, fazendo com que o público seja grande. Pense nos joguinhos que aparecem como publicidade quando você está usando seus aplicativos de celular. São desses que estamos falando.

Pense no jogo como uma marca
“Quando vamos desenvolver um jogo, nós pensamos também nos I.P.s, que são as propriedades intelectuais. Ou seja, transformar aquilo em uma marca, assim você consegue desenvolver -- e monetizar -- coisas ao redor do universo do seu game que vão além do jogo em si.”
Pesquise a concorrência
Dê uma olhada nas plataformas de jogos mobile como o Google Play ou Apple Store. “Lá, eles têm listas de classificações com os melhores jogos do último ano, os mais premiados. Você pode ver que muitas vezes, eles não tem um 3D incrível, mas têm uma jogabilidade tão boa que se destacam.”
Pesquise o que os usuários avaliam como melhor feature naquele segmento e procure desenvolver uma boa mecânica naquele setor.

Lance a versão BETA
Como explica Rafael, tanto na plataforma do Google Play como na Apple Store, você consegue lançar uma versão do seu jogo ainda em fase de desenvolvimento na versão BETA. 
“Isso é bom porque o pessoal já pode baixar, ir jogando e dando um feedback. A partir daí, você vai melhorando seu produto para lançar um produto final certeiro, além de já ir divulgando o nome.”
Não tenha medo de sugerir parcerias
Ele cita como exemplo a parceria entre a rapper Drik Barbosa e o jogo desenvolvido por ele “Mayara & Annabelle: Idle Battles.”
“A ideia dessa parceria foi conseguir mais publicidade para o jogo, começou como uma conversa informal pelo Twitter e desenrolou em um clique dela usando a ideia do jogo [veja abaixo] e uma música exclusiva para o game.”
A cantora virou até uma personagem do jogo, que foi inspirado em uma HQ de mesmo nome.
Já pensou em criar seu próprio game? 

Torne-se um designer de games e transforme sua paixão em uma profissão altamente requisitada. Você vai aprender todas as etapas da criação de um jogo, desde a primeira ideia até o lançamento, passando pelo design e pela usabilidade. Ao final, você terá a estrutura completa de um game, com conceito, personagens, desafios e interações. 


O designer de games é um profissional responsável pelo conceito do jogo, do início ao fim, o que inclui a criação de enredos e histórias; personagens; mapas e cenários; e interface do usuário.


Em 5 meses você aprenderá como criar narrativas, conceitos, público-alvo, usabilidade e engines possíveis, além de gerenciamento de equipes.