Design

Habilidades e ferramentas que todo designer precisa dominar

Uma linguagem visual apurada é essencial, mas para ser um bom profissional e se destacar na área é preciso ir além na busca por conhecimento
Você pode ter um senso de estética e uma criatividade incríveis mas, em um mundo completamente digital, de nada adianta se você não souber traduzir isso para a tela. Mas não basta dominar as ferramentas de trabalho (nesse caso, os softwares!) sem se dedicar a aprimorar habilidades técnicas e comportamentais.
Por isso, aqui está uma lista dos recursos recomendados por designers que atuam na área e sabem bem do assunto.

FERRAMENTAS

Os softwares, você já deve saber quais são os principais: eles são essenciais para manipular imagem, ajustar cor e luz, ajustar vetores, e muitos desses programas podem ser utilizados para outras modalidades também – o Photoshop também pode ser usada para criar vídeos, por exemplo.

Manipular imagens: Adobe Photoshop
É o padrão da indústria para a manipulação de fotos digitais e artes fotorrealistas. Desde mudanças pequenas, como correção de textura, até mudar consideravelmente o formato de um corpo ou objeto. Com ele, você consegue manipular tanto imagens 2D como 3D, fazer composições e até editar frames de vídeos.

Ajustar iluminação: Adobe Lightroom
“O Lightroom é muito bom para efeitos de luz, sombra e ajustes de cores”, indica Raphaella Baptista, designer gráfica, na UOL Compasso, que já passou por empresas como a Fastshop e editora Abril. Ele possui ferramentas fáceis de usar, como controles deslizantes e predefinições, ou seja, “criar como se fosse um ‘filtro’, uma definição pré-determinada de luz e tons que você já tem de prontidão e pode aplicar a suas fotos de forma padrão”, diz.
Para artes vetorizadas: Adobe Illustrator
De desenhos a logotipos, o Illustrator gera todos os tipos de imagens. “Ele é ótimo quando você tem que fazer alterações gráficas em algum ícone, por exemplo, como arredondar uma linha, afinar um vértice...”, diz Rubiani Okamoto, designer gráfica, também da UOL Compasso, com passagem por títulos internacionais da editora Abril. É a base para criar arte baseada em vetores.

Para UX/UI: Figma
É um editor gráfico de projetos de design baseado principalmente no navegador web. Ele espelha o site ou aplicativo que está sendo criado, permitindo simular e vetorizar como vai ficar sua página. Perfeito para quem quer se certificar de que o usuário terá uma boa experiência.

Para editar vídeos e criar motions: After Effects
Cria as imagens em motion -- como logotipos animados, créditos de um filme ou vídeos infográficos -- e também permite manipular imagens filmadas, removendo objetos da cena ou adicionando chuva, por exemplo. Com ele, você também consegue fazer a edição de diferentes filmagens, unindo e cortando takes, e adicionando letterings por cima.
HABILIDADES TÉCNICAS

Fotografar
Calma, ninguém está dizendo que você deve se tornar um Sebastião Salgado. Mas, ao aplicar os conceitos de composição, como eles são encaixados nos planos; qual os enfoques e a mais adequada iluminação, as peças finais serão mais coerentes e esteticamente mais agradáveis. 

Ilustrar
Saber ilustrar definitivamente vai tornar seu caminho mais interessante enquanto designer gráfico. A ilustração é um poderoso instrumento criativo e ajuda a colocar no papel as ideias. Transformar conceitos e a imaginação em imagens facilita os protótipos de projetos e produtos. Resumindo, ilustrar vai enriquecer seu processo criativo. 
Pensando nisso, a EBAC acaba de lançar o curso de Sketching para Designers, com duração de 5 meses. Os professores são a artista Renata Pedrosa, pós doutora pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP São Carlos, doutora e mestre em Poéticas Visuais pela ECA-USP; e o designer Bob Nogueira, com experiências passam por design gráfico e de produtos, mobiliário, editorial, embalagens, audiovisual, promoções e digital, além de aplicar atuar na educação esde 2018 atua em educação, com projetos em Design Thinking, STEAM, Inovação e cursos de design. 
Habilidades comportamentais
Sejam em projetos como freelancer ou como parte de uma equipe, dialogar, ouvir e absorver e aprimorar o senso colaborativo são habilidades valiosas para ter no dia a dia de trabalho. Afinal, ninguém faz nada sozinho e é preciso estar aberto a receber sugestões de todos os lados (assim como de outras áreas envolvidas no processo). 

Outra característica importante é ser flexível. Se existe uma certeza no trabalho do designer é de que os pedidos de alteração irão chover, e isso não tem nada a ver com a qualidade da sua produção. É preciso chegar a um meio termo para entregar o que o cliente quer sem perder as características marcantes que tornam seu trabalho único.