Games

O mercado de games e as profissões em ascensão

Com projeções bilionárias de crescimento para os próximos anos, a demanda por profissionais qualificados em diversas áreas desse universo têm aumentado; veja quais são
Não é segredo que muitas áreas de trabalho sofreram com o início do isolamento social mas algumas carreiras em tecnologia até mesmo cresceram diante desse cenário.
Carreiras no mercado de games estão vendo um aumento em duas demandas, uma vez que as previsões são de crescimento do mercado para os próximos anos.

A empresa de pesquisas Newzoo lançou sua estimativa para o mercado de games global no início do mês. Espera-se que, em 2021, a indústria gere cerca de 175.8 bilhões de dólares em vendas.

Devido a pandemia, muitos lançamentos de games foram adiados para 2022, o que mostra que, no ano que vem, a tendência é que o valor gerado pela indústria seja ainda maior. A projeção é que em 2023, o mercado ultrapasse 204 bilhões de dólares. "[O isolamento social] potencializou o consumo de jogos das mais diversas plataformas, aumentando significativamente a receita das empresas. Todo essa demanda de conteúdo, gerou e ainda gera muitas oportunidades no mercado de trabalho", comenta Rafael Ferrari, CEO da Skullfish Studios e professor do curso de Unity do Zero ao Pro, da EBAC.
A plataforma preferida dos jogadores brasileiros

Enquanto os universo de games triplo A (aqueles de orçamentos na casa de dezenas ou mesmo centenas de milhões de dólares) não chega por aqui, vale prestigiar a indústria local, que aumenta cada vez mais sua presença, principalmente no mercado de jogos para celular. Esse é o segmento que hoje mais atrai consumidores que não chegaram a ter experiências com console ou computador. O levantamento anual Pesquisa Game Brasil de 2021 identificou que os smartphones são a plataforma favorita de 41,6% dos brasileiros.

A previsão é que os games para celulares vão representar 52% da indústria em 2021 e terão um crescimento de 4.4% em relação ao ano anterior, mostrando que a área de desenvolvimento para mobile é uma boa aposta para novos profissionais ou aqueles que querem se aprofundar em cursos para essa plataforma.
Vale a pena desenvolver jogos no Brasil?

E muito! No BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival), a previsão para nosso país se mostrou ainda mais otimista que a do resto do mundo. O maior mercado de games na América Latina (e o 12° do mundo em vendas) deve crescer 5.1% em relação ao ano passado. 

Aqui, assim como no resto do mundo, os jogos para mobile vão representar a maior parte do mercado, correspondendo a 47% das vendas enquanto os jogos para computador representam 24% e os para videogame 29%.
Carreiras na indústria de games
Pronto para apostar nesse mercado? "Hoje não é incomum se deparar com diversas oportunidades para se trabalhar em jogos, tanto no Brasil, quanto no exterior. É possível ingressar neste mundo através de diversas áreas: programação, modelagem 3D, concept art, produção, sound designer, game designer, level designer, UI especialist, entre outras. Dentre as vagas do mercado, ter domínio da ferramenta de desenvolvimento de jogos Unity, uma das maiores engines de desenvolvimento de jogos do mundo, é com certeza um dos requisitos mais pedidos", afirma Ferrari. Bom, agora é com você! O próximo passo é escolher qual área seguir:

Game Designer/Projetos em games
Uma posição parcialmente técnica e parcialmente artística. O designer de games desenvolve o conceito, personagens e história do game. Geralmente, passam uma parte significativa do tempo colaborando com outros membros técnicos do time.
Artista 3D
São artistas técnicos. Eles criam imagens em três dimensões, como personagens do jogo ou cenários, trazendo o mundo do jogo à vida. Na maioria dos casos, usam software especializado. Além disso, eles precisam ter grande imaginação, garantindo que possam visualizar o resultado de seus esforços.
Designer de Som
A maioria dos videogames tem trilhas sonoras complexas, que podem apresentar sons ambientais, efeitos sonoros, partituras musicais personalizadas ou trilhas de vários artistas musicais. Um deles é o argentino Gustavo Santaolalla, ganhador do Oscar pelas trilhas sonoras de “O Segredo de Brokeback Mountain” e “Babel”, fez a música dos dois “The Last of Us”, celebrada aventura que se passa num mundo pós-apocalíptico.

Desenvolvedor de software
Os designers de jogos são responsáveis ​​pela visão geral de um projeto, mas são os desenvolvedores de software que muitas vezes dão vida a essa visão. Eles gastam seu tempo criando código, solucionando problemas e lidando com muitas das responsabilidades técnicas para garantir que o jogo funcione.
Já pensou em criar seu próprio game? 

Torne-se um desenvolvedor de jogos com domínio de Unity e C#, as mesmas tecnologias que deram vida a Angry Birds, Call of Duty e tantos outros jogos para Mobile, PC, PlayStation e Xbox. Você vai se destacar no mercado criando jogos próprios em 2D e 3D, e iniciar sua carreira em um estúdio de games.


O Unity é um dos principais motores (engine) para desenvolvimento de jogos do mercado, tanto para mobile quanto para console, e possui uma vasta lista de games que conquistaram o coração dos gamers no mundo todo: Full Guys, Templo Run Trilogy, Monument Valley, Untitled Goose Game, são alguns deles!


As videoaulas são separadas por módulos para facilitar o aprendizado. O aluno assiste quando e onde quiser - e pode rever o material e reforçar o aprendizado pelo período de dois anos.


Conheça o professor: Rafael Ferrari (CEO da Skullfish)


Com mais de 14 anos de experiência no mercado de jogos, Rafael Ferrari já trabalhou em empresas como Skyzone, Glu Mobile e Black River Studios/Samsung, onde foi pioneiro no desenvolvimento de jogos de Realidade Virtual. É cofundador e CEO da Skullfish Studios, empresa focada no desenvolvimento de jogos de alta qualidade para PC, consoles e dispositivos móveis.