Design

O papel do UI designer no desenvolvimento de produtos digitais

O designer de interfaces para o usuário é uma área em crescimento, mas o que ele faz na prática?
A interação homem-computador se transformou completamente nas últimas décadas: saiu das telas dos computadores para smartphones, smartwatches, smart tvs, além das aplicações de inteligência artificial e realidade virtual. Em pleno 2021, nem precisamos falar o quanto os aplicativos fazem parte da nossa rotina, não é mesmo?
Aquela tela que pede para inserir dados, aguardar o processamento do pedido ou a caixinha que pede o aceite dos termos de privacidade? Quem criou todas elas foi um UI designer.

O boom da experiência do usuário

Essa intensa relação com a tecnologia, principalmente a mobile, deu gás para uma mudança de foco na criação de produtos digitais, considerando no escopo a satisfação do público alvo tanto quanto a eficiência e eficácia. Normalmente emparelhados como design UX / UI, eles foram priorizados por empresas e startups com o objetivo de criar produtos vencedores. Juntos, UX e UI ajudam a resolver quebra-cabeças digitais: como podemos ajudar as pessoas a usar um produto com facilidade e prazer, ao mesmo tempo que seja aderente ao negócio?

O conceito de User experience – daí “UX” – refere-se à experiência geral que um usuário tem com os produtos ou serviços de uma empresa. Se ele é bom ou ruim, geralmente é determinado pela facilidade ou dificuldade de interagir com cada elemento ou aspecto de um produto digital. “Alguns acadêmicos e bibliografias falam de UX design como uma terminologia ‘guarda-chuva’ de diversas disciplinas, que abrange toda a experiência do usuário. Entretanto, o mercado tem ditado que o user experience design é quem cria os artefatos pelo qual vai se dar essa experiência”, conceitua Thiago Barcelos, especialista em design de produto na SumUp, UX designer e desenvolvedor front-end, e professor da EBAC para os cursos de Product Design e UI Design. E o processo para criar esses artefatos é extenso, envolve diversos profissionais, de designers à programadores.
Pensando em uma linha de processos subsequentes, enquanto o UX designer é mais generalista, entende do todo, pensa na arquitetura da informação, e acompanha o processo de concepção à materialização, o user interface designer é aquele que se aprofunda no conhecimento técnico de desenvolver interfaces, é uma das pontas do processo de materialização de um artefato.

“É um profissional especialista em aplicar componentes, interações e microinterações, elementos da marca, imagem – quando e que tipo de ilustração utilizar –, tipografia, style guide. É a pessoa que traduz todo o artefato em uma experiência visual e interativa”, explica Barcelos.

O UI designer tem desenvoltura em aplicar recursos gráficos, estilos, tamanhos de elementos de um layout e ainda tem um pensamento em otimizar recursos. Isso, do ponto de vista de eficiência de um projeto, pode significar economia de investimento lá na frente. Ele conecta as necessidades do usuário, do negócio, desenha tudo. “É o máximo da tangibilização, ele está olhando com profundidade o artefato de forma visual e interativa.”
O UX designer talvez não tenha tanto conhecimento aprofundado de interfaces. Por exemplo, pode ser um profissional que estruture superbem um projeto, mas na hora de criar a interface, trava mais. “Mas ele pode se dar super bem consumindo o design system, com elementos prontos”, pontua Barcelos. Ele tem mais fortes habilidades de conectar as necessidades dos negócios, dos usuários, pesquisa, cruza informações, desenha e entrega”.

As áreas de trabalho

As principais áreas de atuação de um UI design são empresas que apostam na transformação digital, podem ser bancos tradicionais ou marcas de moda, esportivas, que utilizam e-commerces web ou aplicativos. Há grandes empresas com um núcleo inteiro de tecnologia voltada para a criação de produtos digitais. Nesses casos, o ciclo de vida do produto é contínuo, há aprimoramentos, avaliação de métricas e resultados mesmo após a 'finalização' do projeto – que resultam naquelas atualizações mandatórias dos aplicativos dos seu smartphone.
Empresas de consultoria, em que um UI designer é contratado em projetos "Assim, seu escopo de trabalho é determinado com entregas especificas. Seu hand-off é feito para uma pessoa da equipe do cliente, que pode ser um atendimento, um product designer", explica Thiago. Há também uma terceira opção, que é a atuação como freelancer, geralmente, também em projetos de períodos determinados.
Torne-se um UI Designer!

Você já viu que o UI designer é peça-chave para que a experiência de navegação do usuário em multiplataformas seja excelente, não é? A EBAC lançou o curso online em UI Design, em que você vai aprender a propor soluções visuais criativas para diversos formatos como plataformas, aplicativos, landing pages, e-mail marketing, páginas responsivas e websites completos com diferentes elementos de navegação para interagir digitalmente.


Unindo prática e teoria, no curso da EBAC em UI Design você terá 10 módulos com qualidade de imagem e som excelentes, feedback profissional e uma evolução visível. Você vai aprender técnicas de Pixel Perfect Design para refinar seus trabalhos.


PROFESSOR: THIAGO BARCELOS, ESPECIALISTA EM DESIGN DE PRODUTO NA SUMUP


Nosso professor será o Thiago Barcelos. Thiago atua como especialista em Design de Produto na fintech internacional SumUp. Com mais de 10 anos de atuação no mercado, já desenvolveu experiências digitais para clientes como Grupo Abril, Oi, IBM, Citibank, Grupo Movile, Zingfit, Maplink e Truckpad.