O que é e-commerce, como funciona e quais as vantagens?

Última atualização
27 maio 2024
Tempo de leitura
15 min

Neste guia, você vai encontrar todas as informações sobre e-commerce.

E-commerce é o comércio eletrônico que engloba vendas, marketing e transações pela internet, além de lojas virtuais.

As principais vantagens desse tipo de negócio são: o grande alcance; os custos são reduzidos, já que não há aluguel nem funcionários; é possível personalizar ofertas; e é conveniente para os consumidores.

O e-commerce funciona através de uma plataforma com recursos e integrações que permite um processo de compra completo, pós-venda com fidelização e integração com marketplaces (plataforma online onde vendedores e compradores se encontram para realizar transações comerciais).

Os principais tipos de e-commerce são: Business-to-Consumer (B2C), em que a empresa vende seu produto ou serviço direto ao consumidor final; Business-to-Business (B2B), em que a empresa vende seu produto ou serviço para outras empresas; e Consumer-to-Consumer (C2C), em que vendedor e cliente são consumidores finais.

Há alguns fatores críticos na escolha da plataforma em que o e-commerce vai funcionar: funcionalidades como design responsivo e SEO, excelente experiência do cliente, suporte rápido, conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e segurança.

E-commerce: história e tipos

O início do e-commerce foi na década de 70, com o sistema Electronic Data Interchange (EDI) – Intercâmbio Eletrônico de Dados, em português -, e a sua popularização aconteceu nos anos 2000, graças à internet que facilitou as transações.

Hoje, os principais tipos de e-commerce são:

Tipo Descrição Exemplos
Business-to-Consumer (B2C) Direto ao consumidor final, marketplaces e lojas virtuais expandem alcance e fidelizam clientes, modelo tradicional Marketplaces, lojas virtuais
Business-to-Business (B2B) Entre empresas, atacadistas/fabricantes vendem a varejistas Softwares empresariais, produtos para escritórios
Consumer-to-Consumer (C2C) Plataformas facilitam comércio entre pessoas físicas Enjoei, OLX, mercado de produtos usados
Direct-to-Consumer (D2C) Fabricantes vendem diretamente a consumidores, reduzindo custos, aumentando controle sobre experiência de compra Avon, Samsung

Vantagens do e-commerce: alcance global, custos reduzidos, personalização

Alguns dos benefícios de se ter um e-commerce são:

Alcance global: o e-commerce quebra fronteiras; possibilita que vendas aconteçam 7 dias por semana, 24 horas por dia. Essas características ampliam significativamente as possibilidades de lucro.

Custos reduzidos: com o e-commerce não é preciso investir em aluguel, segurança, nem funcionários. O empresário investe em hospedagem de site, domínio e marketing, o que aumenta a lucratividade.

Personalização: a partir de dados que o consumidor deixa em um e-commerce, é possível fazer ofertas sob medida para ele, o que aprimora a retenção de clientes.

Conveniência para consumidores: como o e-commerce é um negócio virtual, é possível que os consumidores façam compras de qualquer lugar do mundo. Eles também podem comparar preços com facilidade e fazer transações seguras. Essas características enriquecem a experiência do cliente.

Análise de tendências: nos e-commerces, há registros eletrônicos detalhados das compras dos clientes, o que facilita o rastreamento de vendas e, consequentemente, a identificação de tendências. Fazer isso é crucial para o desenvolvimento de produtos e para criar estratégias de mercado.

Como funcionam as plataformas de e-commerce

O e-commerce funciona através de uma plataforma que oferece diversas ferramentas, permitindo que o cliente tenha uma experiência de compra completa, e a empresa, por sua vez, possa fazer o processo de pós-venda com fidelização e integração com marketplaces.

Normalmente, a plataforma de e-commerce possui recursos nativos, é simples de usar, pode ser integrada com outras ferramentas e tem suporte para a empresa. Para o usuário, é importante que a plataforma tenha mecanismos de buscas, informações sobre os produtos e várias opções de pagamento, como cartão de crédito ou pix.

O processo de pós-venda também é importante para quem tem e-commerce. Depois de vender um produto, é válido que a empresa entre em contato com os clientes, via e-mail, WhatsApp ou telefone, para saber das impressões do consumidor. Esse processo fideliza clientes e gera recompras, ou seja, a mesma pessoa volta a comprar no e-commerce.

É interessante, também, que a plataforma seja integrada com marketplaces como o Mercado Livre, para vendas diretas, ou Instagram, Facebook e WhatsApp, para transações simplificadas.

Principais plataformas de e-commerce no Brasil

Existem diversas plataformas de e-commerce disponíveis no Brasil. Conheça algumas delas:

  • Plataformas internacionais

Algumas plataformas de e-commerce são internacionais e possibilitam que produtos sejam vendidos para vários países. Exemplos delas são:

Shopify Global: Fundada em 2004, no Canadá, a Shopify está presente em mais de 175 países. Com suporte em português, o usuário pode começar a usar gratuitamente e, depois, escolher o melhor plano para a empresa.

Shopify internacionalização: em alta com planos em dólar, taxa até 2%, integração Enterprise Resource Planning (ERP) mínima, destaca-se em dropshipping.

Magento Open Source: Lançado em 2008, o Magento Open Source faz parte do catálogo de produtos da Adobe. Empresas de médio e grande porte utilizam a plataforma. O Magento Open Source possui dois planos: Adobe Commerce Pro e Managed Services. A plataforma permite que o usuário faça customizações e tem uma comunidade ativa.

  • Plataformas nacionais em destaque

Algumas plataforma brasileiras que estão em ascensão são:

VTEX: uma das líderes do comércio digital, a plataforma é usada em diversas empresas, incluindo a Sony e a Coca-Cola. A VTEX tem foco em Search Engine Optimization (SEO) e possui mais de 300 recursos disponíveis para serem usados.

Nuvemshop: líder na América Latina, a Nuvemshop possui vários planos e preços; tem suporte rápido; mais 150 aplicativos para fazer integração; oferece frete grátis e descontos.

Tray plataforma: com dashboard intuitivo, a plataforma oferece: layout arrasta e solta; integração de marketplaces, promoções avançadas e Secure Sockets Layer (SSL).

Loja Integrada Brasil: esta plataforma oferece planos grátis e pagos para os usuários e tem: suporte pelo WhatsApp; marketplaces nativos e promoções avançadas.

  • Plataformas especializadas

Outras opções de plataformas de e-commerce são:

JET: algumas de suas características que se destacam: omnichannel, tem venda assistida e mais de 40 opções de promoções.

Mercado Shops: esta é uma plataforma do Mercado Livre. Gratuita, ela oferece integração nativa, sem controle sobre Mercado Pago/Envios. Benefícios: venda em duas plataformas, sem custos fixos.

Woocommerce: Plugin do WordPress, ele é gratuito, tem alta customização, manutenção pesada, integração ERP e pagamento. Desafios: custo de plugins, manutenção do site, dependência do ecossistema WordPress.

Fatores importantes na escolha da plataforma

Como há uma série de plataformas de e-commerce disponíveis no mercado, às vezes pode ser difícil escolher qual a melhor opção para uma empresa. Por isso, destacamos algumas características que são importantes de serem analisadas e que vão ajudar nessa decisão.

Funcionalidades: é importante entender se a plataforma possui design responsivo, SSL, SEO, checkout e carrinho otimizados, integração omnichannel e relatórios de desempenho para que estratégias sejam feitas com embasamento.

Experiência do cliente: a plataforma deve oferecer excelente usabilidade e navegação segura, porque isso aumenta a satisfação e fidelidade do cliente. Esses são aspectos fundamentais para o sucesso das vendas online.

Suporte: o suporte oferecido ao cliente tem que ser rápido. Por isso, é importante garantir que essa seja uma característica da plataforma escolhida.

Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e segurança: é preciso que o e-commerce cumpra a LGPD e esteja preparado para proteger dados dos seus clientes. Este ponto é essencial para evitar riscos de segurança e garantir confiança dos consumidores no ambiente digital.

Métodos de pagamento mais utilizados no e-commerce brasileiro

De forma geral, um e-commerce oferece várias opções de pagamento para o cliente. No Brasil, os métodos mais utilizados pela população são:

Cartão de crédito: o cartão de crédito é um método de pagamento muito usado pelo brasileiro, principalmente nas compras virtuais. Ele possui taxas variáveis por gateway.

Boleto bancário: o boleto bancário é uma opção de pagamento escolhida principalmente por quem não possui cartão de crédito.

Pix: lançado em 2020, o pix faz transferências bancárias em segundos. Às vezes, as lojas oferecem desconto para o cliente que escolhe esse tipo de método.

Carteiras digitais: esta é uma opção que vem sendo bastante utilizada pelos clientes em suas compras. Com as carteiras digitais, o combate às fraudes e clonagem fica mais eficiente.

Parcelamento: o brasileiro também costuma parcelar suas compras. Por isso, é comum ver ofertas com a opção de parcelamento em até 12x no cartão de crédito, por exemplo. Essa opção chama atenção principalmente para quem quer comprar um item com valor elevado, como um celular.

Imagem: Shutterstock

Estratégias para o sucesso no e-commerce

Para ter sucesso no e-commerce, desenvolva um plano claro, avalie recursos da plataforma, garanta conformidade legal, priorize a qualidade da entrega e a segurança do pagamento, e desenvolva uma estratégia de marketing diversificada. Sobre este último ponto, invista em:

  • Estratégias de marketing digital mais eficazes

Automação de e-mail, análises e integração de publicidade otimizam as estratégias digitais de e-commerce.

Automação de e-mail monitora funil de leads e aumenta vendas de e-commerce via comunicação direcionada.

Automação de nutrição de leads personalizada com base no comportamento do usuário fortalece os relacionamentos de e-commerce.

Automação é essencial para escalabilidade. Ela agiliza as comunicações e faz o rastreamento preciso em grandes bases.

  • Personalização de conteúdo: adaptada ao comportamento do consumidor, melhora engajamento e conversão

Personalização de e-commerce 2024: IA (Inteligência Artificial) para conteúdo hiper-personalizado, aumentando engajamento com e-mails personalizados, prevendo preferências dos consumidores.

Consistência na marca: a marca tem que ser sólida. Preste atenção em tom de voz, valorize logotipos, use cores consistentes em e-mails através de modelos personalizáveis para reconhecimento da marca.

  • Remarketing e retargeting: estratégias combinadas impulsionam vendas e engajamento

Remarketing é uma tática de marketing digital que possibilita que os seus anúncios do Google Ads sejam exibidos repetidamente para usuários que já manifestaram interesse no seu site.

retargeting, que pode ser traduzido como “mirar em um alvo novamente”, é a estratégia que reconhece os usuários que visitaram sua loja online e possibilita que você os alcance novamente por meio de anúncios.

Essas estratégias combinadas impulsionam vendas e engajamento.

Benefícios do remarketing: reforça a marca, aumenta Return on Investment (ROI) com anúncios precisos e eleva taxas de conversão.

Remarketing personalizado: é possível segmentar por interesses e ações passadas, como média de compra maior do que R$100, e amplia conversões.

Remarketing recupera vendas: Google e Facebook Ads reexibem produtos a potenciais clientes passados, aumentando taxas de conversão. É uma técnica eficaz contra abandono de carrinho.

  • SEO e conteúdo: essenciais para tráfego, vendas e autoridade

SEO: é o conjunto de técnicas e estratégias utilizadas para otimizar um site ou conteúdo online, com o objetivo de melhorar a visibilidade da empresa nos resultados de busca orgânica dos mecanismos de busca, como o Google. O SEO envolve a otimização de diversos aspectos, como palavras-chave, estrutura do site, qualidade do conteúdo e autoridade da página, visando aumentar o tráfego qualificado e a relevância do site perante os usuários e os algoritmos de busca.

Marketing de Conteúdo: ter blog, estar presente em redes sociais, produzir materiais informativos que atraem… tudo isso é uma estratégia de marketing de conteúdo, os quais engajam e educam clientes sobre a marca. Esta é uma tática alinhada ao funil de vendas que eleva autoridade e gera leads.

Conteúdo orgânico: fazer vídeos informativos e estabelecer parcerias para divulgação da marca em redes como Instagram e YouTube são estratégias para gerar awareness (grau de reconhecimento ou familiaridade que o público-alvo tem com uma marca, produto ou serviço) sem investimento direto.

Mídia paga: estratégia convencional de otimização para mecanismos de busca. Exemplos: Google Ads e Facebook Ads.

  • Análise de dados e KPIs: monitoram desempenho online e direcionam ao sucesso em vendas

Análise de desempenho contínua: é importante monitorar taxas de abertura, cliques e conversões que são feitas no e-commerce. É recomendado refinar esse processo com testes A/B e testes A/B alimentados por IA para otimização constante.

Key Performance Indicators (KPIs): indicadores-chave, como tráfego diário, são essenciais para monitorar desempenho online e direção ao sucesso em vendas.

Análise de resultados: essencial na otimização de conversão, requer configuração precisa de métricas e questionamento profundo dos dados.

Importância dos KPIs: essencial para ajuste da estratégia de marketing digital, aprendizado com a experiência e geração de relatórios.

  • Inteligência Artificial no marketing: personalização, análises preditivas, automação de processos

IA no conteúdo e SEO: impulsiona pequenas e médias empresas, permitindo competir efetivamente em espaços digitais com recursos limitados, destacando a importância da tecnologia na competição online. Contudo, é preciso prestar atenção ao conteúdo que é produzido, já que informações errôneas ou inverídicas podem ser publicadas, caso não haja revisão.

Otimização em tempo real: Inteligência Artificial pode prever o comportamento do consumidor, o que facilita decisões estratégicas ao identificar oportunidades de segmentação e antecipar tendências.

  • Cross-selling e upselling: elevam o ticket médio

A eficácia da estratégia digital depende da escolha da plataforma adequada, impactando a capacidade de executar:

Cross-selling: técnica de vendas que envolve oferecer produtos ou serviços adicionais relacionados ao item que um cliente está prestes a adquirir.

Upselling: estratégia de vendas que envolve oferecer ao cliente um produto ou serviço de maior valor ou com mais recursos do que o item que ele inicialmente pretendia comprar.

Marketing de afiliados: modelo de marketing no qual uma pessoa ou empresa promove produtos ou serviços de terceiros e recebe uma comissão por cada venda, lead ou ação específica gerada através de seus esforços de marketing.

Passo a passo detalhado de como criar uma loja virtual do zero

Desenvolva um plano claro: defina metas, visão e orçamentos desde o início para uma base sólida.

Identifique seu público-alvo: realize pesquisa de mercado, crie personas de compra com base em demografia, comportamento e geografia para estratégias de marketing eficazes.

Escolha seus produtos: selecione produtos pelos quais você é apaixonado para ter vantagem no suporte ao cliente e marketing; encontre um equilíbrio entre qualidade e preço para garantir satisfação do cliente e margens de lucro.

Avalie recursos da plataforma: analise listagem de produtos, controle de preços, métodos de pagamento, segurança ao escolher uma plataforma crítica para gerenciamento de produtos e vendas.

Considere plataformas SaaS: Software as a Service (SaaS) oferece custos reduzidos, implementação rápida (3-6 meses), manutenção flexível, suporte especializado, segurança garantida, escalabilidade sem custos adicionais e customizações variadas.

Garanta conformidade legal: navegue pelos desafios pós-lançamento aderindo às regulamentações da Lei do E-commerce e Proteção ao Consumidor, essenciais para confiança e conformidade.

Otimize o design da sua loja: use temas responsivos, personalização da marca para uma forte primeira impressão; busque inspiração em sites de e-commerce de sucesso para layout e design eficazes.

Aprimore as páginas de produtos: atraia, informe e converta clientes com títulos atraentes, descrições detalhadas e mídia de alta qualidade.

Priorize a qualidade da entrega: construa uma sólida reputação através da cuidadosa seleção de fornecedores e múltiplos parceiros logísticos para eficiência de custos e velocidade de entrega.

Comunique políticas de entrega: especifique claramente frete grátis, taxas fixas ou variáveis nas páginas de produtos para gerenciar as expectativas dos clientes.

Simplifique o gerenciamento de pedidos: simplifique processos operacionais, aproveite integrações fáceis e controle centralizado para eficiência no e-commerce.

Garanta a segurança do pagamento: selecione métodos de pagamento que garantam a segurança da transação e a confiança do cliente; entenda gateways, Payment Service Providers (PSPs) e subadquirentes.

Integre gateways seguros: proteja e simplifique transações com métodos em conformidade com Payment Card Industry (PCI), suportando principais cartões de crédito/débito e carteiras digitais.

Expanda as opções de pagamento: adicione gateways seguros, incluindo AfterPay, Square e PayPal, para públicos internacionais à medida que seu negócio cresce.

Desenvolva uma estratégia de marketing: planeje investimentos, considere taxas de marketplace vs. site próprio; diversifique o tráfego com presença em marketplace.

Otimize para mecanismos de busca: melhore a visibilidade com textos alternativos, tags de título e URLs amigáveis para SEO para rankings mais altos nos mecanismos de busca.

Lance campanhas de e-mail: influencie compradores online, impulsionando vendas com newsletters personalizadas, atualizações de produtos e descontos.

Se você quer estruturar ou aprimorar um e-commerce, a EBAC oferece diversos cursos que podem ajudá-lo nessa jornada: Marketing e Gestão de Projetos de E-commerce; IA para Negócios; Experiência do Cliente; Consumer Insights e Pesquisa de Marketing; Gestão de Vendas e Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) são alguns exemplos. Qual você vai escolher?

Página inicial / Negócios
Equipe EBAC

O conteúdo

Marketing e gestão de projetos de e-commerce

Domine as ferramentas e estratégias para alavancar as vendas em grandes lojas virtuais e marketplaces. Baseada nas melhores práticas e exemplos do mercado como Magalu, Extra, Ponto Frio e Casas Bahia, aprenda a planejar, criar e gerenciar um plano de e-commerce marketing eficaz para uma grande marca, startups ou para o seu próprio negócio.

6 meses
12x de
R$ 305,50
(parcelas sem juros no cartão de crédito)
Investimento pelo curso completo
R$ 3.666
R$ 6.110
Inscreva-se no curso
Compartilhe sua opinião
Notificar sobre comentários

Ou como convidado

Cadastre-se Cadastre-se Cadastre-se Cadastre-se Cadastre-se

Artigos Relacionados

04 jun 2024
5 min
O que é analista de inteligência de mercado?

As decisões de negócios, hoje em dia, são tomadas com base em dados. É por isso que as empresas contam com o conhecimento do analista de inteligência de mercado.

04 jun 2024
5 min
31 maio 2024
5 min
O que é um coordenador de projeto

Organização e liderança são as palavras que guiam a atuação deste profissional

31 maio 2024
5 min
09 jan 2024
15 min
Retrospectiva EBAC 2023

Confira quais foram os projetos e eventos da EBAC que se destacaram ao longo deste ano.

09 jan 2024
15 min
O que é e como elaborar uma Análise PEST

Entenda por que a Análise PEST é uma ferramenta importante para ser usada nas tomadas de decisões de uma empresa

15 dez 2023
8 min
10 nov 2023
9 min
Giro nos eventos da EBAC

Confira um resumo dos principais eventos que a EBAC realizou e dos quais participou em Outubro e no começo de Novembro

10 nov 2023
9 min
31 out 2023
6 min
EBAC na Educa Week 2023

O co-fundador da EBAC, Alex Avramov, marcou presença na 8ª edição de um dos maiores eventos educacionais do Brasil.

31 out 2023
6 min